Psicose, a obra por trás do clássico suspense de Hitchcock

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

chave bates motel, bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

O pequeno buraco era apenas uma rachadura na parede do outro lado, mas ele conseguia ver através dele. (…) Via o suficiente. Deixe as vadias rirem dele. Ele sabia mais sobre elas do que podiam imaginar.

Eu estava mega ansiosa pra conversar sobre Psicose, obra de Robert Bloch. Primeiro porque a DarkSide Books, editora que publicou esse livro no Brasil depois de 50 anos (e duas reformas ortográficas) sem nenhuma edição, me botou a maior pilha do mundo enviando um kit contendo uma chave de quarto e um papel de hospedagem do Motel Bates (obrigada, DarkSide, eu amo vocês). Segundo porque fui curtir o filme Psicose há alguns dias, na Fundação Cultural de Blumenau, e por último porque as duas edições do livro vieram parar na minha mão.

[LEIA+: Falemos sobre Hitchcock, o filme (e o diretor, e a esposa dele, e a filmografia, e…)]

Psicose é o livro que deu origem a um dos filmes de suspense mais famoso de todos os tempos, dirigido pelo Mr. Alfred Hitchcock, em 1960. Nele conhecemos Mary Crane, uma auxiliar de escritório que foge da cidade após roubar 40 mil dólares que ela deveria depositar no banco para o seu chefe. No meio da madrugada, com uma chuva terrível, ela vai parar no Bates Motel, uma estalagem localizada no meio do nada, graças a um desvio da estrada principal que foi feito há alguns anos.

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

O proprietário, Norman Bates, um homem baixo, gordinho, antisocial e com cerca de 40 anos, vive com a presença de sua mãe dominadora e desagradável em uma casa anexa ao Motel. Norman a mantém na casa alegando que ela é doente e tem acessos de raiva constantemente, o que pode assustar ou constranger os (pouquíssimos) hóspedes que param por ali.

Na primeira noite de Mary no Motel, eles jantam juntos, mas Mary acaba irritando Norman ao sugerir que a mãe dele deveria ser internada. Então ela retorna ao seu quarto e, depois que Norman bebe muito e espia Mary através de um buraco na parede, a mãe surge, raivosa, e então acompanhamos a famosa cena do chuveiro, imortalizada pela atuação de Janet Leigh.

Não podia ouvir nada além do barulho de água, e o banheiro começou a se encher de vapor.
Foi por isso que não percebeu a porta abrir, nem o som de passos. Logo que as cortinas do chuveiro se abriram, o vapor obscureceu seu rosto.
(…)
Mary começou a gritar. A cortina se abriu mais e uma mão apareceu, empunhando uma faca de açougueiro. E foi a faca que, no momento seguinte cortou o seu grito.
E a sua cabeça.

É claro que o desaparecimento de Mary não passa despercebido pelo seu noivo Sam e pela sua irmã Lila, que começam a investigar melhor o caso com a ajuda de um detetive. Uma caçada que acaba revelando mais do que se imaginava sobre o esquisito Norman Bates.

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose, nao perturbe psicose

Vale dizer que a história tem pouco mais de 200 páginas, e nesse curto espaço o autor mede detalhes e diálogos, tornando a história objetiva em algo completo. Os diálogos de Norman com sua mãe são muito bem construídos, e os pensamentos, expostos nos capítulos em que a voz principal é dele, são perturbadores, com dualidades que deixaria até os psicólogos mais gabaritados chocados.

O livro de Robert Bloch foi publicado originalmente em 1959 e tem inspiração no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. Norman Bates e Ed Gein compartilham algumas semelhanças, como o estilo de vida solitário, a idolatria pela mãe dominadora e os hábitos peculiares.

Recolocou depressa o livro no lugar e se ergueu. (…) O que ela não pudera ler na cara sem graça, gorda e comum de Norman Bates, agora se mostrava com toda clareza em sua biblioteca.

poucas diferenças entre o livro de Bloch e o filme de Hitchcock, talvez porque Hitchcock tenha achado a história tão perfeita que quis manter mais do que a essência da mesma. Tanto que, na época, o diretor adquiriu os direitos do livro e comprou todos os exemplares disponíveis para que ninguém descobrisse o final da história, mantendo assim uma das melhores reações de terror do público nos cinemas em 1960.

Nesse caso, vou dar uma de Hitchcock e recomendar que você assista Psicose antes de ler o livro. Sabendo o final da história, você vai poder sugar ao máximo as artimanhas do autor de “falar sem dizer”, tão bem empregadas.

“Nunca me ouve, não é? É só o que a senhora quer, o que a senhora acha. A senhora me deixa doente!”
(…)
“Deixo você doente, hein? Pois bem: acho que não. Não, garoto: não sou eu quem deixa você doente. É você mesmo.”

É um baita livro. Recomendo que você leia a história. :)

Psicose nas mãos da DarkSide Books

A DarkSide Books caprichou na edição brasileira do livro. Tanto a edição simples em brochura quanto a edição limitada com capa dura são espetaculares. Sou apaixonada pela capa branca, muito embora não abra mão do caderno de fotos do filme Psicose que tem ao final da edição limitada.

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose, alfred hitchcock, psicose hitchcock

Curiosidade: Robert Bloch foi roteirista de cinema e TV e chegou a escrever vários episódios para a série Alfred Hitchcock Apresenta (1962-65), além do roteiro do remake de O Gabinete do Dr. Caligari (1962), de Roger Kay, e três roteiros para a série Star Trek (1966-67).

“Você deseja alugar um quarto?”

Como vocês sabem, o Pipoca Musical é um blog parceiro da DarkSide Books. Na época em que o lançamento do livro estava para ser anunciado, recebemos da editora um kit muito, muito, muito bonito, contendo uma carta, um adesivo, um marcador de páginas, uma cópia da nossa reserva e a chave do quarto 6 do Motel Bates. Tudo muito caprichado, como já era de se esperar da DarkSide.

Olha aí algumas fotos (não consegui parar de olhar pra chave por um dia inteiro):

chave bates motel, bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

chave bates motel, bates motel quarto 6, robert bloch livro, livros darkside books, pipoca musical, raquel moritz, livro psicose

Espero que tenham curtido o livro. Evitei dar spoilers para o caso de alguém não conhecer a história por completo. Esse é o primeiro caso em que vou indicar assistir o filme antes de ler o livro. Funcionou bem comigo, espero que funcione bem com vocês também.

A edição brochura de Psicose foi cedida pela DarkSide Books ao Pipoca Musical por conta da parceria. Eu super recomendo que você acompanhe as novidades da editora nos canais: Site | Facebook | Twitter | YouTube | Tumblr

Até mais!

Ficha Técnica

Título: Psicose
Autor: Robert Bloch
Ano: 1959
Páginas: 256
Editora: DarkSide Books
Gênero: Suspense