Asimov nos apresenta à maior aventura da raça humana na Trilogia da Fundação

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

trilogia fundacao asimov, editora aleph, pipoca musical, raquel moritz, livros scifi

Rufem os tambores, pois hoje é dia de falar da Trilogia da Fundação, de Isaac Asimov, uma obra de ficção científica do @#$@#$@#$ que detalha uma aventura sensacional através do espaço, composta pelos livros (1) Fundação, (2) Fundação e Império e (3) Segunda Fundação. A trilogia bateu O Senhor dos Anéis e ganhou o Prêmio Hugo de melhor série em 1966, um dos mais prestigiados da Ficção Científica e Fantasia.

[LEIA+: “Fundação” vai virar série da HBO]

Em um futuro bem longínquo, a humanidade se espalha pela Galáxia e nem ao menos tem uma recordação de seu planeta de origem. O Império Galáctico é a instituição que governa a humanidade e já está no poder há muito tempo. Uma vez colossal, o Império vinha caindo, mas ninguém se dava conta disso. Ninguém exceto Hari Seldon, o maior e mais respeitado psicohistoriador da Galáxia, que faz a nossa história começar de maneira excitante.

trilogia fundacao asimov, editora aleph, pipoca musical, raquel moritz, livros scifi

Com o uso da psico-história, uma ciência baseada na psicologia e estatística que lida não com um indivíduo, mas com a massa, Seldon conseguiu prever com cálculos que o Império estava em queda e seu fim era inevitável. Não demoraria a estourar guerras e conflitos, resultando em uma era de escuridão e retrocesso. Um período de barbárie de 30 mil anos se seguiria à queda, até que um novo império surgisse e organizasse a casa. Seldon então montou um plano para assegurar o surgimento de uma nova era em um período 29 vezes menor: um local onde toda a ciência e história da Galáxia pudesse ser documentada e consultada, a fim de garantir que as conquistas humanas não se percam (em outras palavras, uma enciclopédia).

Foi acusado de traição e exilado em um cantinho da galáxia, é claro. Porém, como o medo era real, o Império permitiu que ele continuasse seus estudos em silêncio, e ele levou consigo um grupo de pessoas que pudesse ajudar a executar o seu plano muito tempo depois que ele já estivesse morto.

trilogia fundacao asimov, editora aleph, pipoca musical, raquel moritz, livros scifi, premios ficcao cientifica

Os objetivos de Seldon não estão apenas relacionados à perpetuação do conhecimento, embora este seja um fator essencial para a construção de uma organização forte e próspera. E sua psicohistória, que diz que um único indivíduo é imprevisível, mas uma massa de bilhões é altamente previsível, pode parecer infalível, mas em dado momento é posta à prova por cruzar com um personagem tão poderoso quanto qualquer ser humano, ameaçando seriamente o plano do doutor.

A Trilogia da Fundação não tem um único personagem como protagonista, e sim uma civilização – essa foi minha primeira constatação ao me deparar com um salto de tempo logo no começo da história, onde tive que deixar pra trás um personagem que gostei. O primeiro volume nos insere nesse universo e trava diversos duelos intelectuais entre os personagens, ao passo que o demais livros nos entregam à ação desenfreada de uma população que se vê apta a tomar o poder. E até as mulheres assumem um papel importante aqui: as três mulheres que mais apareceram na obra tomam atitudes que mudam a trajetória dos acontecimentos. :)

trilogia fundacao asimov, editora aleph, pipoca musical, raquel moritz, livros scifi, hari seldon

Muito se fala que Isaac Asimov se inspirou no A História do Declínio e Queda do Império Romano, uma série publicada pelo historiador Edward Gibbon entre 1776 e 1788 que procura explicações para eventos históricos com base em sociedade, cultura e política, ao invés de atribuir tudo a um plano divino. Que os Impérios narrados tem semelhança, a gente não nega, mas só lendo pra saber. Fato é que a aventura galáctica vai muito além disso. Outra observação é a respeito do Mulo, que me lembrou bastante o Hitler em alguns quesitos.

Sobre referências da obra, (1) imagino que o nome do personagem de Big Bang Theory, Sheldon, tenha algo a ver com Seldon; (2) tenho certeza que os fãs de O Guia do Mochileiro das Galáxias vão notar algumas das inspirações de Douglas Adams presentes nessa aventura. <3 trilogia fundacao asimov, aleph, pipoca musical, raquel moritz

A trilogia é o cerne da aventura de Asimov, mas o autor escreveu ainda prelúdios e sequências que se passam no mesmo universo. Você pode ler os livros na ordem de lançamento (que é o mais indicado, pois ele escreveu a história principal, as sequências e depois os prelúdios), ou pela cronologia da história. Depois que comecei a ler os livros, pesquisei sobre como ler a série Fundação e compartilho com vocês a dica do site Livrismos:

Como ler as obras de Isaac Asimov

Por ordem de lançamento (indicada): Fundação (1951), Fundação e Império (1952), Segunda Fundação (1953), Limites da Fundação (1981), Fundação e Terra (1986), Prelúdio à Fundação (1988), Origens da Fundação (1993).

Por ordem cronológica da história: Prelúdio à Fundação (1988), Origens da Fundação (1993), Fundação (1951), Fundação e Império (1952), Segunda Fundação (1953), Limites da Fundação (1981), Fundação e Terra (1986).

Bom, espero que tenham gostado do post de hoje fazendo a indicação da trilogia. Alguém aí já leu ou tem vontade de ler essa série? Curte ficção científica? Deixe seu comentário. :)))

Ficha Técnica

Título: Fundação, Fundação e Império, Segunda Fundação
Autor: Isaac Asimov
Editora: Aleph
Ano: 2009 (original: 1951, 1952, 1953)
Skoob: (1) Fundação, (2) Fundação e Império e (3) Segunda Fundação
Compre: Americanas | Submarino | Editora Aleph

Comentar resposta para Wesley C. Dias de Oliveira Cancelar

Comentários

Comentários do Facebook

33 comentários via blog

  1. Cara, esses fazem partes dos livros que eu mais tenho vontade de ler!

    Até agora só li um pequeno livro do autor, o Os Robôs. Mas foi o bastante pra eu ficar afoito por mais, visto que sou um grande apreciador de sci-fi. Esse livro é uma aventura investigativa dos famosos personagens dele Elijah Baley e R. Daneel Olivaw.

    E o que mais acho legal é como a pesquisa e pensamento dos personagens influi mais à história, do que necessariamente as ações dos personagens. E o Asimov faz isso de forma que não fica monótono e nem parado, pois os personagens e tramas são muito cativantes.

    Bom saber disso da cronologia, pois eu sempre vejo mil e um exemplares da série, mas ficava em dúvida se lia o que achava. Pois odeio começar algo da metade, ficar sem entender de onde a história veio. Vou buscar o primeiro livro imediatamente! :)

    1. Eu demorei um bom tempo pra começar a trilogia, achava que era muito complicado e tal. No fim das contas, a leitura fluiu super bem, tem que ler com calma e em silêncio porque a quantidade de informações é grande, mas é recompensador. E concordo com você, não é monótono. Adorei o terceiro volume <3

      Espero que você goste, viu? A ordem de leitura é importante, que bom que pude te ajudar. \o/

      Beijão, obrigada pela parceria de sempre, Nic. :)))

  2. Mariana comentou em

    Meu namorado me recomendou essa trilogia e ja tem um tempinho que estou de olho nela.
    Eu só não sei ao certo se é um livro para começar a ler sci-fi. Já li Viagem ao Centro da Terra do Verne, mas não sei se foi um bom começo.

    1. Eu acho que recomendaria “Eu, robô” primeiro, ou alguém tipo Arthur C. Clarke ou Philip K Dick pra começar a ler scifi. :))))

    2. Brunno Sena comentou em

      Para começar no mundo do Asimov é melhor ir pelo Eu, Robô. O Bom Doutor fez um retrofit da sua obra de forma que todas elas se conectam. O problema é que se você começar por Fundação (Talvez se alucine pela trilogia) pode perder alguns “easter eggs” de outras obras dele como o Cavernas de Aço e o Sol Desvelado entre outras que não me recordo no momento.

    3. Bia comentou em

      Acho que Asimov é perfeito pra ingressar na ficção científica. Mas talvez é melhor começar por algum livro mais leve, por exemplo O Fim da Eternidade, que é delicioso…. curto e sobre viagem no tempo. É excelente!

  3. Aêêêê! Finalmente resenha de Asimov pra me dar o empurrão final e me motivar a ler a série :))
    Eu admito que tenho um certo fascínio por ficção científica e todo o conceito, mas nunca dei uma chance pro gênero com medo de começar lendo algo não muito bom e toda essa imagem ser destruída pra mim :( Agora, sabendo do que fala a história (ainda mais sendo sobre essa questão de conservação do conhecimento), tô bem mais empolgada pra ler!

    Obrigada pelo empurrão, pipoca linda <3 <3 <3

    1. Sua fofinha, espero que goste dos livros. Eu não tinha ideia do que esperar da história, mas como tenho carinho pelo gênero, meti a cara hahaha. Muito sensacional, espero que goste muito! :) Beeeeeeijo, querida <3

    2. Bia comentou em

      Eu achei o primeiro livro da trilogia um pouco cansativo, afinal o tema dele é mais político… mas a historia engrena super bem no segundo e vale muito a pena. Se por algum acaso achar o primeiro meio chato, lembre-se do meu comentario e nao desanime, hehehe. Mas gosto demais de tudo que o Asimov escreve.

  4. Muito obrigada pelo manual de como ler Asimov! Li um conto dele a uns dias atrás e fiquei louca pra ler a obra do cara mas não tinha idéia se os livros tinham uma ordem ou seqüência!

  5. Brubs comentou em

    Faz tempo que quero ler essa série, depois dessa Indicação subiu várias opções na minha lista de pendencias :)

    1. Hahahahaha, várias opções :P Até indiquei no Renegados, TU VÊ SÓ. Espero que goste. ;) Bjs!

  6. Acho engraçado o fato de você e a Dani (uma amiga minha), duas pessoas que eu considero que tenho muito em comum, serem louca por Assimov e eu só ter lido um livro dele. Preciso colocar isso em dia.

    1. Começa com Eu, Robô. Não é trilogia e é tão interessante quanto. Espero que você goste :D

  7. Fabiana Almeida comentou em

    Ops, sua resenha cumpriu a função de me deixar curiosa Raquelzita!
    Hummmmmm Vou pedir de Natal!
    :* Bijus

  8. Wesley C. Dias de Oliveira comentou em

    Com certeza a história é genial. O problema é que os livros continuam caros…

  9. Raphael Andrade comentou em

    Primeiro, antes de tudo, adorei a resenha e o site.
    Eu comecei a ler de novo asimov. reli “Eu, robô” e a gana por mais me levou a ler em seguida “Visões de Robô”. Esse ultimo traz historias de um tempo muito grande no universo dos Robos do Asimov, começando desde quando os robôs ainda eram permitidos na terra até quando os robôs parecem-se com humanos. (dai pensei que pode ter robos em Fundação, já que não há diferença entre os robôs e os humanos, tirando o cérebro positronico)
    Enfim, decidi que vou ler tudo de robos, porque li em algum lugar que toda a obra do Asimov vai pra Fundação.

    Só pra dividir a experiência mesmo.
    Cheguei no blog pelo share da Aleph, mas adorei. Seguindo!

    1. Raphael Andrade comentou em

      Ah, inclusive é um robô que cria a “equação” do que viria a ser a psico-história, muito tempo depois.
      Por isso recomendo ler os lances dos robôs de Asimov antes, mas não é preciso MESMO.
      Bjos e continuem com o trampo foda!

      1. Oi Raphael,

        E primeiro, antes de tudo, tenho que agradecer o carinho e a atenção que você dedicou em deixar um comentário tão gentil aqui pra mim. Fico muito feliz quando as pessoas gostam do que faço por aqui, então muito obrigada. :)

        E em segundo lugar, mas não menos importante, achei mega interessante seus comentários por aqui. Eu, Robô é incrível, mas esses outros que você mencionou ainda não tive a oportunidade de ler. E caramba, como tem coisa, né? Hahahahaha.

        Obrigada pelo comentário mais uma vez. :D Continua acompanhando o blog, scifi vai dominando por aqui. Bjs!

        1. Raphael Andrade comentou em

          ;D

  10. Bia comentou em

    Gosto demais do Asimov e estou comprando TUDO que a Aleph lança desse autor. Comecei a ler Asimov na adolescência, quando meu irmão me emprestou alguns livros do personagem Lucky Starr…. depois fiquei muuuuito tempo sem ler livros dele e recomecei com O Fim da Eternidade, daí já comprei a trilogia Fundação e não parei mais. :-)

    1. Excelente recomeço, aliás, Bia! O Asimov escreve de forma envolvente, eu fiquei muito surpresa porque sempre esperava que os “dinossauros” do scifi clássico fossem rebuscados e complicados. Mas adorei a aventura. :D

  11. Leandro Nogueira comentou em

    Faz aproximadamente um ano e meio desde que embarquei nessa apaixonante epopéia espacial, quando li o primeiro livro da trilogia. Ontem, finalmente, conclui a leitura do terceiro volume! :)

    1. Valeu cada segundo, né? Admite. Eu adorei toda a trilogia, mas o primeiro – pra mim – foi insuperável. Adorei :DDDD

  12. Luanna Zanlorenzi comentou em

    Sou apaixonada por essa série <3 amo o Asimov de coração por ela! Mas deixa eu te fazer uma pergunta, esse Crônicas da fundação de 1993 seria outro nome para a edição lançada ano passado pela Aleph com o título de Origens da Fundação, certo?

    1. Ai, é isso sim, vou até corrigir no texto, já que tem a edição da Aleph. Brigadinha!

      1. Luanna Zanlorenzi comentou em

        Não a de quê :) eu estava aqui até assustada achando que tinha deixado passar 1 livro haha