Aristóteles, Dante e todos os segredos do Universo

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

aristoteles dante segredos do universo, editora seguinte, pipoca musical, Benjamin Alire Sáenz

Então passei a me chamar Ari. Se tirasse uma letra, meu nome seria Ar. Achava que devia ser ótimo ser o ar. Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver.

“Certa noite de verão, caí no sono desejando que o mundo fosse diferente quando eu acordasse. Quando abri os olhos de manhã, estava tudo igual.” Quem disse isso foi o Aristóteles (não o filósofo, apenas um garoto de quinze anos), nas primeiras linhas do livro Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo (adicione ao Skoob), tema deste post.

Aristóteles é um garoto de quinze anos, de descendência mexicana, vivendo dia após dia com seus dilemas. Introvertido, meio temperamental, dono de um humor sarcástico, o adolescente tem certa dificuldade para se expressar e fazer amigos. Quando as emoções transbordam, elas vem naquela energia da adolescência onde a gente às vezes tem raiva de tudo e não entende porque as coisas são como são. Apenas sente.

aristoteles dante segredos do universo, editora seguinte, pipoca musical, Benjamin Alire Sáenz

Quis fechar os olhos e deixar o silêncio me engolir.

“Sentimento” é algo que flui pelas páginas de Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo, livro do americano nascido em Novo México, Benjamin Alire Sáenz.

Certo dia, enquanto está na piscina, Aristóteles conhece Dante, um garoto da idade dele que se dispõe a ensiná-lo a nadar, e nasce aí uma amizade que promete durar a vida inteira. O engraçado é que os dois não são muito parecidos. Aristóteles é melancólico, nervoso, guarda o mundo para si e passa boa parte do tempo amargurado com os problemas de sua família e os seus próprios; Dante, em contrapartida, é expansivo, confiante, sensível e se dá perfeitamente bem com seus pais.

Fiquei pensando que alguns poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.

A amizade dos dois é algo que completa as partes que faltam do quebra-cabeça complicado que é a adolescência. E ela é super importante para o desenvolvimento da história, mas curiosamente não é o principal. Este podia ser mais um livro sobre como é importante ter amigos para ajudar você nas horas difíceis, especialmente nessa fase, mas passa longe disso. Ele não cai no óbvio.

Descobrir-se, e descobrir quem você quer ser no mundo, é parte da dura jornada que é crescer. Esse é um livro interessado em falar de descobertas e relacionamentos interpessoais. E não só de Aristóteles, mas de todos os personagens. Todos eles tem uma batalha para travar.

Na história, as famílias dos dois personagens tem um papel fundamental, e funcionam de forma diferente. A lição que fica é que o amor é incondicional. E ver os nós se desamarrando aos poucos é interessante e envolvente.

aristoteles dante segredos do universo, editora seguinte, pipoca musical, Benjamin Alire Sáenz

– Você vai passar a vida se pondo para baixo?

Eu já fui Dante. Hoje sou mais Aristóteles, pelo menos quando se trata de falar de mim. É que, no fundo, não basta você falar, você tem que saber falar. E nem sempre a gente se expressa bem. O turbilhão de emoções que a gente vive, seja com 15, com 20 ou 30 anos, faz parte da vida, mas ninguém falou como era difícil não desapontar ninguém, especialmente a si mesmo, como era difícil escolher o caminho certo, e decidir por qual bandeira lutar.

As quase 400 páginas, que cobrem cerca de dois anos da vida dos garotos, passam voando. Tem um determinado ponto do livro em que você não sabe bem para onde o Ari vai te levar, mas daí algo acontece e te lembra a razão de estar ali. Não é assim que a vida funciona, às vezes?

Porém, ele nunca fez nenhuma pergunta sobre mim. Diferente de minha mãe, ele respeitava meu mundo particular.
(…)
– Não sei lutar essa guerra, pai.
– Você devia ter pedido ajuda – ele disse.
– Também não sei fazer isso.

Eu gostei bastante de Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo. Tem coisas na escrita que me incomodaram um pouco e a postura defensiva de Aristóteles pode não agradar a todos, mas na última parte do livro (ele é dividido em 6), fui tomada pelas emoções que o autor propôs. E gostei. Foi diferente. Benjamin soube retratar bem as dificuldades dos personagens, talvez por ter passado por coisas semelhantes (ou até piores).

Benjamin Alire Sáenz é graduado em filosofia, teologia e tantas outras coisas, e já foi reconhecido com um American Book Award (1992) e o PEN/Faulkner Award (2013). Aristóteles e Dante foram responsáveis pela escolha da obra como Livro de Honra do Printz Award em 2013. Espero que você tenha a oportunidade de ler algo dele. Eu adorei a experiência (e a Anna do Pausa para um Café também, olha aqui a resenha dela).

Minha mãe e meu pai deram as mãos. Imaginei como era – como era segurar a mão de alguém. Aposto que às vezes é possível desvendar todos os mistérios do Universo na mão de uma pessoa.

Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo foi cedido pela Editora Seguinte ao Pipoca Musical por conta da parceria. Acompanhe as novidades da editora nos canais: Site | Facebook | Twitter | Instagram

Ficha Técnica

Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Ano: 2014 (original: 2012)
Gênero: Young Adult
Editora: Seguinte
Páginas: 394
Skoob: adicione à estante
Compre: Companhia das Letras (lançamento 30 de abril)

Comentar resposta para Bruna Cancelar

Comentários

Comentários do Facebook

29 comentários via blog

  1. Esse livro me pareceu ser uma graça . As frases que você citou já me fizeram identificar-me com o livro. Mas a última,sobre os mistérios de um universo nas mãos de uma pessoa, fechou com chave de ouro. Abraço!

    1. Oi Maria,

      É um belo livro. Eu tinha selecionado outras, mas não coube, hehehe. Que bom que gostou, espero que se interesse na história. :)

      Bjs

  2. Estou aqui pensando se sou Dante ou Ari, acho que no fundo sou tão Dante quanto Ari e acabou me perdendo entre as questões do Universo, tanto quanto nas poesias.

    Se no final da minha vida eu chegar e me ver sendo o Sr. Quintana, não vou me importar, sabe? Eu ainda estou apaixonada por esse livro e acho que esse amor não vai acabar nunca. Pode se pedir um livro em casamento?

    Amei, e espero que todo mundo possa ter essa experiência de leitura que nós duas tivemos. É bom pra alma ler livros tão lindos assim.

    Quero tatuar alguma frase de livro (ao lado das frases do Neil Gaiman e do Chuck), vou acabar virando um livro, mas quem se importa? Quem sabe eu já seja um.

    Beijinhos :*

    1. Oi Anna-Dante-Ari!

      Também acho válido a gente um dia ser o Sr. Quintana. Que pai, né? E acho que você pode pedir um livro em casamento sim, aheuhaeuhe. O livro veio em hora certa.

      Que frase será que você vai tatuar? Tem muitas muito boas nesse livro, né? Eu ainda to guardando o espacinho do Gaiman aqui, mas quem sabe um dia eu viro um livro também! AHEHAEH

      Beijoooo <3

  3. Bruna comentou em

    Há um tempinho eu já queria ler esse livro e quando soube que a Seguinte ia lançá-lo resolvi esperar porque confiei que eles iam fazer um trabalho bem feito :)
    Pela resenha o livro é tudo o que eu espero <3 só felicidade! hahaha as citações são bem interessantes (gostei da que o Ari fala com o pai) e sinto que esse livro vai ser um Cidades de Papel pra mim hahaha

    Beijos, Quel! <3

    Bruna

    1. É bem bonito, Bru! E não só isso: a tradução tá bem legal também. Acho que você vai gostar. <3

      Beijo! :D

  4. Eu gosto de quando uma amizade entre pessoas diferentes podem servir de complemento no crescimento de um ou de outro.
    Acho que eu gostaria de ler esse livro S2

    1. É verdade. Quando as pessoas são iguais não tem muita graça. Achei o retrato da amizade dos dois bem sincera, sabe. Às vezes sentindo raiva, às vezes amando, às vezes salvando. Muito legal. :) Espero que goste!

      Bjs :)

  5. Isabela comentou em

    Oi Flor! Nossa, quando recebi o e-mail da Editora falando sobre o livro não me interessei muito, mas agora com a sua resenha vi que tive a impressão errada. Parece ser fofo e agradável de ler! Fiquei curiosa…

    Bjs, Isabela.

    1. É bem agradável mesmo, Isa. Talvez tenha vindo em boa hora pra mim, não sei. Até falei esses dias em algum lugar que eu não tava muito pra Young Adult ultimamente, mas o Aristóteles é um ranzinza que me cativou. :)

      Beijo!

  6. Bruna Gnadt comentou em

    Olá! Amei a resenha, fiquei muito curiosa com relação ao livro. Beijos!

  7. Ai, que gracinha! Eu jurava que seria outro tipo de tema, haha.
    Mas lendo sua resenha tô vendo que é melhor ainda do que eu esperava!
    Parece ser um livro super sensível e delicado, e que fala de amizade e de descobertas de uma forma comovente.

    Adorei a resenha. Como sempre muito interessante, cheia de citações e informações legais. As fotos do livro também ficaram uma lindeza *-* hihi.

    Beijão Raquel <3

    1. Pois é, andaram dando spoilers por aí na interwebs, mas não liga pra eles, ahhaha. A jornada de descoberta do Ari é algo bacana de acompanhar. Fico feliz de ter lido esse livro agora, veio em boa hora. Que bom que gostou da resenha, Juju. Obrigada por acompanhar a Dona Pipoca <3

      Bjs!

  8. Lygia comentou em

    “Eu já fui Dante. Hoje sou mais Aristóteles, pelo menos quando se trata de falar de mim. É que, no fundo, não basta você falar, você tem que saber falar. E nem sempre a gente se expressa bem.” ISSO <3

    Estou acompanhando algumas resenhas de Ari e Dante e sei que vou gostar da leitura, ainda mais do autor falando que quase que esse livro não vem à tona. Muito corajoso ele, dps de quase uma vida toda, se despir de seus medos e conflitos internos e assumir um caminho que fosse mais leve para ele. Mês que vem vai ser tão difícil pedir livros pra Seguinte (*chorando já*) rsrs

    Beijos!

    1. É verdade, Lygia, concordo com você. O autor foi bem corajoso, e ver tudo que ele passou e mesmo assim ainda tem tanta sensibilidade pra escrever uma história desse calibre, é algo inspirador. Gostei bastante da leitura, achei agradável e muito, muito rápida. Os diálogos fluem, sabe. E nem todos os segredos do universo estão nas conversas. Muitas vezes o Ari pensa coisas que a gente também pensa. :’)

      Bjs!

  9. Não é o tipo de coisa que leio todo dia, mas digo que o titulo é muito genial e a capa muito bonita. É o tipo de livro que me deixa curiosa pelo conteúdo por causa desses fatores.
    E a resenha também me deixou curiosa da vida.
    Vamos aguardar .mobi…
    Abraços

    1. Oi Ju!

      Achei o livro bem bonitinho, e bom pra quebrar um pouco os gêneros que eu tava lendo. :) Espero que vc goste, caso leia algum dia.

      Beijo!

  10. Ayanna comentou em

    Oi, Raquel!
    Preciso desse livro urgentemente, haha. Quando vi o título pensei que se tratasse de uma coisa, mas, depois de ler a resenha, vi que trata-se de um livro bem atual e com ensinamentos incríveis. Além dessas citações maravilhosas, né? <3
    Beijos,
    Ayanna
    http://leitorespossessivos.blogspot.com.br/

    1. Oi Ayanna!

      Muita gente se enganou com o título, hahaha. É um livro muito bacana, gostei da leitura e da sinceridade dele. :’)

      Beijo!

  11. Renata comentou em

    Oi Raquel! Tudo bem?
    Tenho lido coisas positivas sobre esse livro, eu realmente jurava que era sobre outra coisa kkkkkk, mas deixa para lá! Acho que ainda não li nenhum spoiler dele (que bom!)…. Eu achei a capa muito linda, acho que até comentei isso com vc já! Parece ser muito sensível, de vez em quando é bom dar uma “vareada” nas leituras..srs
    bjão

    1. Realmente, querida, eu estava um tempo sem ler livros desse gênero e curti a aventura. Espero que não tenhas lido spoilers mesmo, vi algumas resenhas com alguns, mas seja como for, é parte da jornada e não o foco. :)

      Beijo!

  12. Thaís comentou em

    Esses livros que nos contagiam são tão amor, né? Eu amei a resenha que a Anna fez e me identifiquei com tanta coisa que ela citou que esse livro se tornou prioridade para a leitura. hahahahha

    Beijo, beijo! <3

    1. É um livro bonito, eu gostei bastante da leitura e da forma como fui me identificando ora com um personagem, ora com outro. Tomara que goste, Thaís! :)
      Beeeijo!

  13. Eu me apaixonei pelo livro após ler um texto do autor, onde ele conta que se assumiu gay aos 54 anos. É um texto tão comovente que acho impossível eu não amar esse livro, tô doido pra que o meu chegue, vai passar na frente de mil livros aqui sem dificuldade, rs. Resenha linda, e esses quotes são destruidores haha

    http://www.ohmydogestolcombigods.com/

    1. Oiee!

      Pois é, o autor assumiu isso mesmo, e achei sensacional. No livro a gente percebe que tem algo meio autoral no Ari, você vai ver. Adorei a leitura desse livrinho, foi rapidinho de tão gostosa que é a escrita. Tomara que você curta :D Beeiijo!

  14. Ju comentou em

    Oi! Eu sempre acompanho o seu blog e eu não sei o que eu tanto tive contra a capa desse livro a princípio, até que eu li e se tornou um dos meus favoritos, é engraçado como essas coisas acontecem. A resenha ficou muito bonita e faz jus ao livro que é maravilhoso, eu não consigo imaginar alguém lendo sem sentir e sentir muitas coisas. Esse é um daqueles livros que eu quero falar, falar, falar, falar até as pessoas perto de mim resolverem ler. Eu preciso que as pessoas conheçam Aristóteles e Dante e acompanhem a jornada deles para descobrir os segredos do universo, mesmo que seja o universo que cada um tem dentro de cada um.

    1. Oi Ju,

      Eu fui pega toooooootalmente de surpresa com esse livro. Achava a capa linda, mas não tinha ideia da relação com o livro, hahaha. Também é um dos livros que quero falar, falar, falar. É uma história que faz bem, e mexeu com vários sentimentos. <3

      Adorei seu comentário, obrigada por compartilhar ;) Beijos!