O Oceano no Fim do Caminho e as memórias infantis

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman

“Eu me lembro perfeitamente da minha infância… Eu sabia de coisas terríveis. Mas tinha consciência de que não deveria deixar que os adultos descobrissem que eu sabia. Eles ficariam horrorizados”

A epígrafe de Maurice Sendak (autor de Onde Vivem os Monstros) é um começo perfeito para O Oceano no Fim do Caminho (adicione ao Skoob), primeiro romance adulto de Neil Gaiman desde 2005. Seja escrevendo romances, contos, poemas, roteiros de televisão ou quadrinhos, Gaiman sempre mostrou uma habilidade fantástica para contar histórias e criar mundos. Com o modelo de “pessoas comuns em histórias extraordinárias”, ele faz situações bizarras parecerem reais o suficiente para serem uma memória sua. E é de memória que é feito O Oceano.

Um homem adulto está a caminho do funeral do seu pai e, no meio do trajeto, dá a volta e começa a dirigir para qualquer outro lugar; não quer enfrentar esse compromisso com a morte. Ele se vê voltando para a casa onde passou sua infância, e, em seguida, a casa no fim da rua onde fica o lago que é muito mais que um lago: o oceano de Lettie Hempstock.

A partir desse momento, o livro conta a infância de seu protagonista sem nome e faz uma viagem através desse oceano de memórias criadas na infância que, de alguma maneira, definem quem ele se tornou no futuro. Esse é o trabalho mais autobiográfico de Gaiman, vários momentos do livro foram tirados da sua própria infância, e o protagonista adulto é um escritor que se assemelha muito ao autor.

livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman

“O trabalho vai bem, obrigado, eu diria, sempre sem saber como falar do que faço. Se conseguisse falar, não precisaria fazer. Eu faço arte, às vezes arte verdadeira, e às vezes isso preenche os espaços vazios da minha existência. Alguns. Nem todos.”

Somos apresentados à um protagonista quieto, solitário, que prefere passar tempo com os livros do que com as pessoas, até que encontra a família Hempstock. As três mulheres da família possuem poderes, são imortais e conhecem tudo e todos. O garoto e Lettie, a mais nova das Hempstock, se aventuram ao tentar escapar da grande vilã da história: Ursula Monkton, a adorável (para todos, menos o protagonista) mulher que passa a cuidar dele e sua irmã depois que sua mãe começa em um trabalho novo.

livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman
quote oceano no fim do caminho, livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman

“Os adultos também não se parecem com adultos por dentro. Por fora, são grandes e desatenciosos e sempre sabem o que estão fazendo. Por dentro, eles se parecem com o que sempre foram. Com o que eram quando tinham a sua idade. A verdade é que não existem adultos. Nenhum, no mundo inteirinho.”

Ao olhar somente a superfície da história, o livro é uma grande ficção com monstros, mágica e aventuras, mas toda a fantasia presente na história deixa rastros reais, e fica claro que estamos tratando da memória de uma criança de sete anos. Podemos entender que o proganista realmente viveu tudo aquilo, mas podemos entender também que a memória é algo construído, e que “duas pessoas nunca lembram de um acontecimento da mesma maneira”, como Ginnie Hempstock explica. Ursula é uma jovem aproveitadora que conquista todos com dinheiro e se torna um monstro na memória dele, enquanto a família Hempstock é a montanha que o protege.

O Oceano no Fim do Caminho é um livro feito para adultos, mas a partir da visão da criança que esses adultos já foram. Ao ler os relatos do protagonista é impossível não ficar com um gosto amargo na boca pela vida adulta. Será que a criança de sete anos que você já foi aprovaria o adulto que você se tornou?

livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman
livro oceano no fim do caminho, livros neil gaiman, neil gaiman oceano, ocean at the end of the lane, pipoca musical, raquel moritz, lucas paraizo, resenha neil gaiman

Nos sonhos eu também falava aquela língua, a língua original, e tinha domínio sobre a natureza de tudo o que era real. No meu sonho, aquela era a língua do que é, e tudo o que fosse falado nela se tornava realidade, porque nada dito com ela pode ser mentira. A língua é o fundamento da construção de tudo. Nos meus sonhos, eu usei esse idioma para curar os doentes e para voar; uma vez sonhei que tinha uma pousada à beira-mar, e para todo mundo que se hospedava lá eu dizia, naquela língua, “Sê inteiro”, e eles se tornavam inteiros, e não pessoas fragmentadas, não mais, porque eu havia falado a língua da criação.

Da mesma maneira que já havia feito em The Graveyard Book, Gaiman mostra nessa obra a importância que os livros tiveram na sua infância, e como são relevantes na vida de qualquer um. E vai além, retratando com uma profundidade clássica do seu texto a formação das memórias da nossa infância. Não se trata apenas de um livro sobre flashbacks e encontros com o passado, mas sim um ensaio sobre como adequamos nossas memórias a partir das referências que temos (no caso do protagonista, os livros), e como essas memórias são importantes na nossa formação. Neil Gaiman volta a sua infância para entender quem ele foi, e, assim, entender quem ele é.

Ficha Técnica

Título: O Oceano no Fim do Caminho
Autor: Neil Gaiman
Ano: 2013
Editora: Intrínseca
Gênero: Fantasia, Young Adult
Páginas: 205
Skoob: adicione na estante
Compre agora: Cultura | Ponto Frio | Submarino | FNAC

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

Comentar resposta para Lisiane Locatelli Cancelar

Comentários

Comentários do Facebook

34 comentários via blog

  1. Olá, tudo bem?
    Eu sou do seu grupo no face Amantes da literatura e vi conhecer seu blog. Já estou te seguindo no g+. Poderia seguir meu blog também?
    É a segunda resenha que leio sobre esse livro. Estou muito interessa, ainda não li nada sobre o autor. Adorei as fotos, ficaram lindas e sua resenha ficou muito boa também, parabéns.
    Convido você para participar da promoção do meu blog:http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/2013/10/promocao-hallowbooks-2-kits-e-2.html
    beijos.
    Cila- Leitora Voraz

    1. Obrigada pela presença, Priscilla! E volte sempre, temos novidades por aqui ;)

  2. Juliana Albuquerque comentou em

    Lucas, adorei sua resenha. Nunca li nada do Gaiman e a alguns dias a Raquel falou sobre Coisas Frágeis e eu achei super legal. Até comprei mas ainda não li. Acho que fiquei mais empolgada para ler O Oceano no Fim do Caminho, suas palavras foram muito interessantes pra definir a história. Já vi alguns vídeos do Gaiman falando e acho ele incrível. Está na hora de eu ler as obras dele, finalmente, kkkkkkk.

    Não sei se você já vinha postando por aqui, mas de qualquer forma, parabéns pela resenha. Beijo.

    1. Oi, Juliana!
      Que bom que gostou da resenha :) Esse foi o meu primeiro texto aqui no Pipoca Musical!

      Eu entrei no mundo dos livros do Gaiman com Coisas Frágeis, costumo recomendar ele para quem está começando por ser um livro curtinho de contos e poesias, então é mais tranquilo pra se acostumar com a escrita dele. Maaas O Oceano é realmente sensacional! Super recomendo se você quer conhecer os romances dele :D

      Ah, e impossível não amar as entrevistas e palestras do Gaiman, né? Semana passada ele deu uma sobre o poder da leitura que é linda demais. (Dá pra ver aqui http://bit.ly/1dtbrpZ)

  3. Oi, tudo bem?
    Engraçado q ao terminar de ler o livro, a primeira coisa q pensei foi “é um livro infantil para adultos”, por mais incoerente que isso possa parecer.
    Curti bastante a resenha, boa análise.
    Abs

    1. Oi, Cristine!

      Pois é, o livro realmente cria essa sensação. Aliás, acho que até mesmo os trabalhos realmente infantis do Gaiman têm isso, ele sabe fazer histórias para crianças terem um sentido muito legal para os adultos!

  4. Fico tão feliz que o Neil está sendo mais conhecido no Brasil (não que ele não fosse mas você me entendeu)! Mal posso esperar para ele vir ano que vem junto com a Amanda Palmer!
    Sua resenha ficou ótima, meus parabéns!

    Neil Gaiman = Meu héroi <3

    1. Obrigado, Amanda! O Neil realmente merece todo o amor e divulgação <3

  5. Lygia comentou em

    Oi Lucas!
    Certamente essa foi uma das melhores surpresas de 2013. Neil soube retratar tão bem no livro a questão de memórias, amizade e como a infância nos influencia…certamente uma relíquia!
    Gostaria que o livro fosse mais longo, mas entendo que se se fosse diferente, poderia até perder a “luz” que ele possui.
    Obrigada pela sua opinião!

    Lygia – Brincando com Livros

    1. Acho que esse é o romance mais curto do Gaiman! É facinho de devorar, mas acho que tá no nível perfeito, né? :D

  6. Eu adorei esse livro. Devorei ele, gosto muito do jeito que o Neil Gaiman escreve. De um jeito que cativa e assusta.

  7. Jeferson Barbosa comentou em

    O site esta cada dia melhor!!!

  8. Gabi comentou em

    Mesmo não sendo ainda uma adulta, eu senti uma nostalgia incrível lendo esse livro. Pensei muito no que a Gabriele de sete anos iria pensar da história. Ela não ficaria pensando no que é real e no que é imaginário, ela simplesmente iria acreditar no imaginário. É um ótimo livro!

  9. Lisiane Locatelli comentou em

    Atiçou ainda mais a minha vontade de ler esse livre. Muito bem escrito. Parabéns. :)

  10. Olá pessoal! Poxa fazia um tempinho que eu não vinha aqui. Chegando me deparo com essa resenha incrível de O Oceano *-*’. Eu adorei esse livro, ainda não conhecia o gênio Neil Gaiman, só ouvia falar.. e ouvia muito!
    Lettie me conquistou e levou meu coração nesse livro, é uma personagem incrível <3 O protagonista, cujo nome não nos é revelado, é muito bem desenvolvido. Eu estava achando o livro muito confuso até a metade, mas como que num passe de mágica, foi costurado à história um final incrível que me levou às lágrimas :)

    Beijos ;*
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

  11. Adriana Wolf Bastos comentou em

    Confesso que ainda não li nenhum livro do autor, e também não leio muitos livros de magias e fantasias…mas esse me despertou um interesse peculiar…
    acredito que pelo fato de algumas lembranças poder ser do próprio autor, não é somente um livro de fantasia, mas a imaginação de uma criança…coisa tão real quanto viver. Espero ter a oportunidade de lê-lo em breve.

  12. Mariana Cascaes comentou em

    Esse livro é perfeito. É um pouco pequeno, é verdade mas acho que em toda boa história a gente se sente assim né? Ótima resenha, pessoal. E QUE LINDAS ESSAS FOTOS, estou apaixonada.

  13. MinnetteManu comentou em

    To louca pra ler esse livro! Meu aniversario é essa semana, e eu ja pedi pra toda familia haha. Agora to mais curiosa ainda! Ótima resenha gente, parabéns.

  14. Adorei a resenha e estou louca pra ler o livro, sou fã do Neil Gaiman!
    E torcendo para ganhar a caneca, mas quem não está, né?! ;)

    Beijinhos no coração

  15. Mariana Araújo comentou em

    Achei muito interessante essa narrativa dele e tô louca pra ler.

  16. Fabiana Almeida comentou em

    Oiiii Lucas e Raquel !!! =]

    Caramba estou com esse livro aqui na minha estante me olhando ‘-‘
    Mas minha ressaca de The bronze horseman tá feroz rsrsr
    Enredei agora para poeta russos, Pushkin!!!!
    Mas calma, vou voltar pro Gaiman… prometoooo!!!!

    Bjs, amo o Pipoca!!!

    1. Hahahhahahha, tá difícil superar essa tua experiência literária, hein? Mas eu te entendo, acredite. :) Obrigada por continuar visitando e comentando aqui no Pipoquinha <3333

  17. Rafaela comentou em

    O livro me emocionou, de verdade. É incrível como uma “fantasia” pode ter tanto da vida real e dos nossos problemas. Acho que o que mais gostei foi o fato ter o mundo contado por um adulto, porém pelos olhos de uma criança; toda a sensibilidade estava nas páginas. Sensacional.

  18. Bruna:) comentou em

    Hmmm..já tentei ler Neil Gaiman uma vez, mas não deu muito certo. Peguei “Lugar nenhum” pra ler, mas acabei largando na metade, achei estranho, não consegui continuar. Esse tem uma sinopse um pouco mais interessante, a capa é linda e tudo mais….mas tô com medo de arriscar e não gostar de novo. Mas quem sabe, pode ser que eu pegue pra ler qualquer hora dessas e me surpreenda, afinal só ouço falar bem do autor.
    ;*

  19. Fabiana Almeida comentou em

    Ahhhhh valeu Pipoca!!!!!!!!!!!!!

    MOITO feliz com minha caneca \o/

    Cafezinho no melhor estilo agora!!!! Bjs, valeuuuuuu

    1. Hahahaa, isso aê Fabi! Obrigada por participar, fico feliz que tenha curtido a caneca <3

  20. Olá o/
    Passando para deixar minhas impressões da resenha e do livro! :)
    Primeiramente adorei a resenha, as frases escolhidas, as fotos, tudo! Até mesmo a caneca que eu perdi :( rsrs
    Pelo que li nos comentários é a estreia do Lucas no site, poxa se a primeira vez que eu tivesse escrito no meu blog fosse assim tava feliz hehe
    Agora quanto ao livro, eu adorei, ha tempos que eu queria voltar a ler algo do Neil Gaiman (li quadrinhos dele quando criança, e tentei ler Deuses Americanos, mas como eu ainda estava começando a ler livros foi muito pra mim rsrs). Agora com Oceano no Fim do caminho eu consegui ir até o final, mesmo estranhando um pouco a narrativa no começo, principalmente quando de repente de um relato realista começaram a brotar elementos fantasiosos um tanto quanto bizarros, mas como bom teimoso que sou (e pelo fato de ser um livro pequeno) eu continuei a leitura, e ela foi me surpreendendo a cada página.
    Adorei muitos dos conceitos (alguns inéditos para mim) como o recortar e costurar, ou mesmo as reflexões de como as crianças enxergam os adultos, tudo muito legal, com certeza uma leitura que agrega demais mesmo com poucas páginas. A parte do Balde é sem dúvida a melhor do livro, muito filosófico e deixa você pensando por um bom tempo depois de fechar as páginas, enfim uma ótima leitura recomendo para todos!
    Tem uma coisa sobre o final que não vou falar aqui para não dar Spoiler pra quem assim como eu lê os comentários alheios, mas vou falar em off com a Raquel e peço pra ela te contar depois Lucas, abraço a todos e parabéns =D

    1. Olá, Bruno! Que bom que curtiu a resenha e o livro :) É uma leitura muito boa, né?
      Também senti essa mudança brusca da parte “realista” pra “fantasiosa” do livro, mas depois que você conhece o Gaiman, isso é muito a cara dele, haha.

      Falamos sobre muitos livros legais do Gaiman aqui no especial do Pipoca, dá uma olhada e escolhe um pra continuar nas obras dele, vale muito a pena :D

      Vou cobrar a Raquel pra me contar esse comentário sobre o final!
      Abração

      1. Ah eu vou tentar ler o Deuses Americanos de novo, agora que estou mais acostumado acho que rola! Eu lembro de ter gostado mas de ter desistido mesmo assim, dessa vez vou até o final!
        Cobra mesmo rsrs, não é nada demais é só uma impressão que eu fiquei e quero ver se vcs tbm acham isso ou é loucura minha mesmo rsrs
        Abs

        1. COBRA A RAQUEL MAS VOCÊ AINDA NÃO ME CONTOU, BRUNO. Huaehauheh

          No aguardo. :P

          1. Agora já contei, e sei que vc já contou pra ele, logo quero saber da boca dele (ou melhor do teclado dele) o que ele achou da teoria rsrs

          2. HAhauehAUEHauehuEHA, missão cumprida, buddie. :)