Fale!, o grito silencioso de Melinda Sordino

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

livro-fale-capa-pipoca-musical-valentina

Laurie Halse Anderson. Esse nome foi responsável por uma das histórias mais marcantes que li este ano. Fale! (adicione no seu Skoob) é um dos romances mais importantes publicados na última década, utilizado por professores e psicólogos para abordar uma realidade que já assombrou 17,7 milhões de mulheres norte-americanas: o estupro e a depressão.

Esse ato de violação a todos os direitos do ser humano a ser livre e dono do próprio corpo, faz com que as vítimas tenham 3x mais chance de sofrer depressão, 26x mais chance de consumir drogas e 4x mais chance de cometer suicídio. Os dados foram expostos no final do livro, como um complemento ao texto de Laurie.

Melinda Sordino é uma adolescente que levava a vida numa boa até que um acontecimento marcante em sua vida tirou dela tudo o que tinha: paz, respeito, segurança e liberdade. Em uma festa de alunos do seu colégio, Melinda é estuprada por um veterano e acaba chamando a polícia. Incapaz de contar aos outros o que havia acontecido, ela é excluída por todos por ter dedurado e estragado a festa sem nenhum motivo aparente.

Abro um clipe e o passo na parte interna do meu pulso esquerdo. É patético. Se uma tentativa de suicídio é um pedido de socorro, então, isso que estou fazendo é o que? Um choramingo, um ganido? (…) Minha mãe vê meu pulso no café da manhã. (…) Não tenho tempo para isso, Melinda.

O abuso faz com que ela se feche para o mundo. Nenhuma palavra além do necessário é proferida por Melinda. Suas melhores amigas dão as costas pra ela, incapazes de perdoar a garota por ter estragado a festa. Todos gostam de provocá-la, para puni-la pela atitude. Embora ligue para os comentários, o silêncio de Melinda diz mais do que palavras: ela está sofrendo, ela está em dor. E ninguém parece escutar.

De mal a pior em todas as matérias, Melinda encontra uma atividade que pode ajudá-la a ganhar sua segurança e confiança de volta: artes. Na primeira semana de aula, o professor dá a cada um uma palavra que eles devem, até o final do ano, transformar em uma obra de arte de qualquer tipo, que expresse o que ela significa. A palavra de Melinda é “árvore” (sacou a capa, agora?).

Nesta semana inteirinha, desde o encontro de incentivo, ando pintando com aquarela árvores tingidas por raios. Tento fazê-las de um jeito que pareçam quase mortas, mas não de todo. O prof. Freeman não faz qualquer comentário sobre ela. (…) Uma das aquarelas está tão escura que mal dá para ver a árvore.

O espírito de Melinda – confuso, irritado, cansado – se reflete nas primeiras tentativas de transformar a palavra em arte. Enquanto tenta se encontrar, Melinda se arrasta do colégio pra casa e da casa pro colégio, sem vontade nenhuma de fazer qualquer coisa além de dormir – um sinal claro da depressão. Nem a chegada de uma garota nova no colégio, que tenta fazer amizade com ela, parece animá-la.

livro-fale-detalhe-diagramacao-valentina-pipoca-musical

No livro, Melinda relata seu dia a dia com pensamentos sobre seus pais, colegas, sobre o garoto que abusou dela, sobre seus professores, suas expectativas e sonhos interrompidos. Ela não conta logo de cara o que aconteceu. Leva tempo para que ela aceite conversar com nós, leitores (mas não entendam isso como spoiler, ok?).

Os meus pais não me deram educação religiosa. O que a gente mais chega perto de louvar é a trindade Visa-MasterCard-American Express. Acho que as cheerleaders do Merryweather me confundem porque não participei da catequese. Só pode ser um milagre. Não há outra explicação. De que outra forma elas poderiam dormir com o time de futebol americano no sábado à noite e chegar na segunda como deusas virginais reencarnadas?

Algumas coisas bem legais sobre o livro: 1) Após publicar seu livro, em 1999, a autora recebeu MUITAS cartas de pessoas que sofreram abuso sexual, contando como foi e como estavam lidando com isso. 2) A pergunta que mais chocou a autora vinha de meninos que não entendiam por que Melinda ficou tão abalada com o estupro – uma coisa que, segundo Laurie, é reflexo da mídia que vende o sexo como algo trivial. 3) A personagem Melinda aparece de relance em outro livro de Laurie, chamado Catalyst. A autora já pensou em continuações para a história dela, mas nunca se deparou com um argumento bom o suficiente. 4) O livro serviu de roteiro para o filme O Silêncio de Melinda, com Kirsten Stewart no papel principal, e o resultado final foi aplaudido pela escritora. 5) Caso você não se recorde do nome, Laurie escreveu Garotas de Vidro, um dos livros incluídos na lista de sick-lits do momento, da Revista Veja (e que estou aceitando de presente).

O livro em si também é muito bonito. A Editora Valentina caprichou nessa edição, com uma capa muito (muito, muito, muito) mais maneira que a original, carregada de significado, e com detalhes bonitos na diagramação. Destaco também a escolha pelo soft touch na capa, que dá aquela sensação “aveludada”, sabe? Ficou perfeito.

livro-fale-trecho-melinda-sordino

Para finalizar, quero dizer que a qualidade da escrita de Laurie é impressionante. Ela está gritando pra gente, mas faz isso com frases, pensamentos e sentimentos mesclados que aparecem nas entrelinhas e formam uma história marcante e muito forte. Fale! é um livro para ser apreciado.

E discutido. Sempre.

Esse livro foi cedido pela Editora Valentina pela parceria com o Pipoca Musical. Acompanhe as novidades da Editora nos canais: Site | Facebook | Twitter | YouTube | Resenhas

Ficha Técnica

Título: Fale! (Speak!)
Autora: Laurie Halse Anderson
Editora: Editora Valentina
Ano: 2013 (original: 1999)
Gênero: Romance
Skoob: adicione na sua estante
Páginas: 248

Comentar resposta para Eduardo Cancelar

Comentários

Comentários do Facebook

20 comentários via blog

  1. Nossa, Raquel. Fiquei morrendo de vontade de ler esse livro! Vou com certeza procurar na bienal semana que vem. Parece ser uma história bem forte e ao mesmo tempo chocante. Não sei como vou lidar com isso, mas espero descobrir em breve.

    E adoro capas com toque aveludado! (Passo um tempão só passando a mão.)

    Abraços.

    1. Oi Paloma!

      É, eu li o livro semana passada e só consegui resenhar ele hoje. Pq eu não sabia por onde começar pra explicar como a história me afetou. Estupro é a coisa mais horrorosa desse mundo, e quando peguei esse tema no livro, me compadeci da Melinda. Demais!

      Sim, essas capas são liiiiindas! Ai, se você for lá na Bienal (invejinha) fala pro pessoal da Valentina que você viu o livro aqui :B

      Hahahah :***

  2. Oi,Raquel!
    Já li alguma críticas positivas a respeito do livro, mas nenhuma ainda tinha me feito acreditar realmente no potencial do livro. Gosto de histórias fortes e provavelmente, Fale será um dos meus favoritos também.
    Bjs!
    Zilda – Cachola Literária

    1. Oi Zilda!

      É, foi uma experiência e tanto, viu. Tenho certeza de que você vai curtir o livro, porque já saquei que você gosta de livros assim, que mexem com a gente e nos deixam sem palavras por um tempo. No caso de Fale!, é até uma ironia eu ter dificuldade de me expressar, pois o livro é justamente sobre isso, hehee.

      Beijão!

  3. Liliana comentou em

    Oi Raquel! Mais um para a minha lista de “livros para ler em 2013”. O tema eh ótimo e já estou ansiosa pra ler.

    1. Oi Liliana,

      Que bom que você curtiu a resenha, flor. Acho que vou levar este pra você em breve, então ;)

      Beijinhos :*

    1. Oi Edu!

      Vale a pena, viu. Levei um tempo pra conseguir me expressar a respeito do livro depois que o li. É muito bacana.

      Beijos!

  4. Fabiana comentou em

    Eita Raquel, fiquei curiosa viu??

    A capa é linda e eu adoro capas ^^

    Uma leitura que desconstrua o senso comum é SEMPRE bem vinda.

    Vou procurar e ler…

    Bjsss (:

    1. Oi Fabi!,

      A capa ficou muito fabulosa, e combina muito com o teor do livro, você vai ver. Fale! é um livro que, depois de lido, merece ser discutido. Seria interessante se as escolas brasileiras o adotassem, como foi feito nos EUA. Esse assunto tem que ser trazido à tona.

      Beijão! :)))

  5. Isabela comentou em

    Oi Raquel! Eu estou extremamente interessada por esse livro. Ele parece ter uma abordagem diferente, importante e crítica acerca da violência e da sociedade atual. Como sempre, a sua resenha ficou excelente e todas as palavras foram muito bem escolhidas. Parabéns!

    Abraços, Isabela.

    1. Obrigada, querida! Que bom que você curtiu a resenha. O livro é incrível e tem, sim, uma abordagem bem bacana sobre o assunto. A Editora Valentina também caprichou na tradução e na captação de informações sobre abuso sexual no Brasil. É uma obra completa, espero que você curta :)

      Beijos!

  6. Nossa Quel, amei suas impressões sobre o livro!!! Eu tinha lido uma resenha dele mas não senti tanto interesse como você! Eu vou colocar na minha lista de desejos!
    Eu também confesso que não entendia essa capa, obrigada por ter esclarecido. Durante a resenha fiquei me perguntando “e os pais dessa bendita??” Me lembrei um pouco do livro Sorte, da Alice Sebold, e um pouco do filme “Confie”, que tem um pouco sobre isso.
    Me indignei por saber que os meninos acham “normal” o que acontece com a personagem Melinda, o sexo é mesmo vendido como algo comum.
    Eu fico indignada quando leio esses livros, rs.

    Beijos!

    1. Oi Jeh,

      Pois é, e os pais dessa bendita? Eles agem como uma família cega aos problemas dos filhos, quando eles se calam diante de algum problema. Acho que essa é a maior lição do livro: tem que haver diálogo. Achei incrível a forma como a autora trabalhou a história. E sim, também fiquei indignada com a visão dos garotos. Mas não é algo de lá: toda vez que falo sobre estupro pra algum garoto, nem sempre dão bola (até que aconteça com alguma irmã, namorada ou mãe). Tem algo a ser mudado, não? Por isso fiquei feliz de ver este livro sendo usado nos colégios do exterior. A Valentina podia fazer alguma ação nas escolas brasileiras. Seria legal :)

      Beijão, bonita!!!!

    1. Ooie,

      Que bom, que bom. Quando você tiver a oportunidade de ler, me conta o que achou. :}

      Beijos!

  7. Ai, Raquel. Por que eu resolvi ler esta resenha, mesmo? rsrs
    Agora eu tô SUPER ME CULPANDO por não ter comprado, sério. Eu fiquei tão na dúvida na Bienal… E deveria ter comprado. Vou incluir uma estrelinha de *prioridade* nele na minha ‘listinha’ enorme de livros desejados. rsrs :)
    Beijo
     Just Carol

    1. Hahahaha, entendo o seu arrependimento, hahaha. Mas a história vai estar te esperando, lindamente. A Editora Valentina está escolhendo os livros a dedo e, até o momento, tem acertado em todos! E oh, quando você tiver a oportunidade de ler o livro, quero ver sua resenha ♥♥♥

      Beijão!