Melissa P.

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

Falamos recentemente sobre o livro Cem escovadas antes de ir para a cama, escrito por Melissa Paranello. Dois anos após o lançamento do livro, a “adaptação” foi lançada nos cinemas, com María Valverde no papel de Melissa. Entre cenas de sexo e atuações ruins, o filme vai direto pro limbo do cinema.

María Valverde é bonitinha, mas atua muito, muito, muito mal. Sua mãe consegue ser pior, sua melhor amiga nem entra na lista. Não sei bem o que Geraldine Chaplin está fazendo ali. Ela é, de longe, a mais perfeita, dedicada e convincente personagem da história. A adaptação sofreu várias alterações, sem fazer jus à experiência da menina.

A única coisa legal, além de Geraldine, é que o filme explora, em termos de direção de arte e de roteiro, as estações do ano para fazer uma metáfora à vida de Melissa. O outono, onde ela se decepciona, murcha. O inverno, quando ela sofre. A primavera, quando ela começa a tomar atitudes e o verão, quando ela chega na plenitude dos atos, quando tudo acontece ao mesmo tempo, a todo momento.

Em suma, o livro Cem escovadas antes de ir para a cama já não vale apena e a adaptação consegue ser muito, muito pior. Usem seus 100 minutos para qualquer coisa mais produtiva.

Ficha Técnica 

Título: Melissa P. (Melissa P.)
Diretor: Luca Guadagnino
Ano: 2005
Gênero: Drama
Duração: 100 minutos

Você também pode gostar de:

– Bruna Surfistinha
– Babysitters de Luxo
Cem escovadas antes de ir para a cama

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

Então quer dizer que a Scarlett Johansson canta?

Filha de um dinamarquês e uma judia, Scarlett Johansson já foi eleita a mulher mais sexy do mundo (Playboy e Esquire). Além de atriz (e cantora, veja só) é modelo: suas campanhas para Louis Vuitton, Dolce & Gabbana, Calvin Klein, L’Oreal etc, dão muito certo graças às suas curvas provocantes. Scarlett cresceu em filmes como […]

Ler o post

A fragilidade dos laços humanos em “Amor Líquido”

Amor Líquido, de Zygmunt Bauman é um discurso sociológico que te abre os olhos. Bauman fala sobre a fragilidade dos laços humanos, a insegurança que inspira desejos conflitantes, a vontade de apertar os laços e, ao mesmo tempo, mantê-los frouxos. A liquidez a que se refere, ao contrário dos termos bancários – que é potencializador […]

Ler o post

Tudo para ficar com ela (The Jerk Theory)

Tudo para ficar com ela (The Jerk Theory) é mais uma comédia romântica pra lista do Pipoca Musical (garotos, chamem o @oletche para escrever sobre filmes): é um daqueles filmes com casais pop famosos que abalam as estruturas do colégio e conseguem cantar uma música no baile de formatura especialmente dedicado àquela garota que não quer falar […]

Ler o post