Mergulhe no mar psicológico de “A Menina Submersa: Memórias”

Por Raquel Moritz em - 72 comentários

a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy, raquel moritz

“Vou escrever uma história sobre ‘A Menina Submersa’ agora”, ela digitou. “Um livro sobre fantasmas com uma garota que sofre de esquizofrenia desorganizada, com uma sereia e um amor sincero”, ela continuou. Eu também digitei. Meu nome é Raquel Moritz, mas tem gente que me chama de Pipoca (¯\_(ツ)_/¯), e hoje queria falar pra vocês sobre esse livro. A Menina Submersa, eu digo.

a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy

A Menina Submersa: Memórias (adicione ao Skoob) é um livro dentro de um livro. Imp, nossa narradora de vinte e poucos anos, é uma pintora (e escritora nas horas vagas) que mora sozinha em um cantinho de Rhode Island. Ela sofre de esquizofrenia, assim como sua mãe e avó – que já faleceram – e não é uma fonte muito confiável para os acontecimentos que serão narrados.

Mas é a única fonte que temos.

a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy

Certa noite, dirigindo por aí de madrugada enquanto sua namorada Abalyn estava em casa jogando videogame para fazer uma resenha para uma revista, Imp encontra uma garota na beira da Rodovia 122. “Em um momento ela não está lá, mas, no momento seguinte, lá está ela”. Nua, muda, misteriosa e fitando a escuridão do rio Blackstone. A palavra que melhor a descreveria: “sobrenatural“. Mesmo assim, um senso de proteção faz com que Imp a leve pra casa. Como você explica essa atitude pra sua namorada?

a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy
a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy

Eva (o nome da moça, como mais tarde descobrimos) seria apenas mais um dos problemas com que Imp lidaria. Eva é a alma do livro. Descobrir, ao longo da leitura, o que ela significa para Imp é uma aventura para o leitor. Ela pode ser uma sereia, ou o fantasma de uma garota afogada, ou uma traquinagem de seu cérebro, ou talvez uma garota de verdade com um passado. Talvez um lobo? “Vamos voltar à teoria do fantasma”, eu penso enquanto leio. “Mas Abalyn a vê, talvez não seja”.

Todas as possibilidades são exploradas por Caitlín Kiernan em A Menina Submersa: Memórias. E cara, ela faz isso tão bem. Penso como deve ter sido interessante para os tradutores encararem uma versão em português de uma peça que por vezes brinca com as palavras e aposta na sonoridade de citações de livros e músicas que conhecemos tão bem.

a menina submersa, darkside books, pipoca musical, urban fantasy

“Não posso esquecer dos quadros e dos livros”, eu escrevo. Não posso esquecer dos quadros e dos livros. Passei algum tempo imaginando cada quadro, pesquisando cada trecho parafraseado e costurando a história de Imp com as informações que eu tinha. Desde o quadro A Menina Submersa, de Philip George Saltonstall até o macabro Fecunda Ratis, de Albert Perrault (ambos criados apenas para o livro, para minha profunda tristeza), passando pela L’Inconnue de la Seine e as citações a Lewis Carroll, Herman Melville e outros, tudo se integra à loucura e a à história de Imp.

[LEIA+: Conheça o caso de Elyn Sarks no TED Talks – o conto de uma doença mental]

Nesse mar de referências, talvez uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a menção à Aokigahara, a Floresta do Suicídio do Japão, o local mais popular para tirar a própria vida, mencionada e usada como artifício em um romance japonês dos anos 60 (“lembrar de avisar os leitores de estômago fraco para não pesquisarem imagens”, Raquel anotou).

a menina submersa, drowning girl, darkside books

“Não sei bem como continuar”, digitei. A Menina Submersa: Memórias é uma história diferente. Lugares assustadores podem existir no seu subconsciente. Por vezes, a mente perturbada de Imp te leva a esquinas que são assim. Assustadoras, quero dizer. Como ela mesma diz ao longo do livro, o que mais tememos não é o conhecido, afinal de contas “podemos reagir ao conhecido (…) mas o desconhecido desliza através de nossos dedos, tão insubstancial quanto o nevoeiro”.

Dizer que o livro é intenso é pouco. E aqui eu digo: “É denso, tenso, psicológico, confuso, diferente, surreal. Não é engraçado, não é romântico, mas é sincero e tem uma história de amor.” E tem mesmo. Às vezes isso não é o foco, mas é um background que enriquece a trama.

a menina submersa, darkside books, pipoca musical

Depois de chegar na última frase da última página, e ultrapassar (quase) todas as camadas da história, fiquei convencida do elogio sincero de Neil Gaiman para a obra de Caitlín: ela escreve como poucos. Ela escreve um terror que desafia sua lógica e seus conhecimentos de qualquer estrutura narrativa. Ela avança no futuro da história, retrocede no passado de sua personagem e, por vezes, mostra uma dica do que está acontecendo no presente. Ou não. Às vezes é apenas imaginação da Imp. Efeito colateral de uma mente perturbada. Queria muito ler outros trabalhos da Caitlín R. Kiernan, como o elogiado The Red Tree.

Ah, e o livro tem uma playlist também. Várias músicas e artistas são citados ao longo da leitura. Se você ficou curioso, dá o play:

Tocar playlist em nova janela | Siga a playlist no Spotify

“Já basta de tanto falar, Raquel. Está exagerando de novo.” Talvez esteja, mas A Menina Submersa: Memórias vai te levar para cantos de uma mente que você sozinho provavelmente jamais iria. Espero que você aproveite a viagem.


PS: um book trailer de verdade! | Música: “Your Hand”, de A Whisper in the Noise

A Menina Submersa: Memórias foi cedido pela DarkSide Books ao Pipoca Musical por conta da parceria. Acompanhe as novidades da editora nos canais:
Site | Facebook | Twitter | YouTube | Tumblr

Ficha Técnica

Título: A Menina Submersa: Memórias (fanpage)
Autor: Caitlín R. Kiernan (@auntbeast)
Ano: 2014
Páginas: 317
Editora: DarkSide Books
Gênero: Urban Fantasy
Skoob: adicione o livro na sua estante
Compre: EDIÇÃO LIMITADA EM CAPA DURA | Americanas | Submarino | Cultura

72 comentários Comentar via blog

Comentários via facebook

Comentários via blog

  1. Mariana comentou em

    Mas gente. Agora fiquei curiosa porque sim, eu pesquisei no google a floresta de Aokigahara por conta de um livro que acabei de ler que a mencionou. SINISTRO. Para mencionar algo assim no livro deve ser porque a coisa é seria.
    Eu me interessaria pelo livro pela parte psicológica da história.
    (adorei o fato de você se propor a escrever a resenha da mesma forma que a autora) XD

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      OIEEEE!

      Cê vê, cabreiro né? Eu fiquei fascinada ao saber que os suicídios na floresta aumentaram depois do lançamento do livro. Baita egrégora que essa floresta deve ter. Mas então, essa parte psicológica da personagem é muito maneira. O livro é bem truncado, cheio de camadas. Espero que as pessoas curtam a aventura.

      E quanto à resenha, que bom que você gostou, hahahaha (a gente fica inventando moda daí fica com receio :P).

      Beijo grande <3

      Responder
  2. Patty Marchiori comentou em

    GENTE TO APAIXONADA POR ESSE LIVRO QUERO AGORAAAAAAAAAAAAAAAAA

    Amei a imagem com as referências que você colocou. Estou curiosa pra saber onde que Moby Dick entra nessa história. Maravilhosa a sua resenha, achei muito criativo da sua parte escrever desse jeito. Beijo

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Hahhahaha, o Moby Dick tem uma participação bem interessante. Espero que você possa ler o livro em breve, é muito legal. Ah, e que bom que você gostou da resenha ;)

      Obrigada pela visita!

      Responder
  3. Mick comentou em

    Oi, Raquel! Adorei a sua resenha e o seu blog! Estava em dúvida sobre comprar esse livro mesmo que seja tão baratinho. Pelas fotos é linda mas o que você achou dela realmente? rs Abraço!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      O livro saiu com um preço bem bacana mesmo, né? Gostei :)

      Eu me empolguei falando do livro e esqueci de falar do “produto” em si. A edição ficou bem bonita sim, lembra um pouco a edição brochura de Os Goonies. É bem acabada e com uma capa espetacular. A diagramação também tá show, vale o investimento.

      Abraço!

      Responder
  4. mary santos comentou em

    oi quel, deixa eu perguntar. geralmente vc coloca trechos do livro na resenha, são essas entre aspas ou você não colocou?

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Mary!

      Sem trechos dessa vez. Algumas partes entre aspas são pensamentos meus, outras partes são pensamentos da Imp no livro (como o trecho em que ela fala sobre a Eva). A ~confusão~ é proposital, lendo A Menina Submersa: Memórias você vai perceber como a mente da Imp funciona. Espero que tenha esclarecido :)

      Bjs

      Responder
      1. mary santos comentou em

        ah não ficou confuso não só queria tirar a dúvida mesmo, ficou bem legal parabéns. (:

        Responder
        1. Raquel Moritz comentou em

          Ufa! Hehehe ;)

          Responder
  5. Karoline Kunieda comentou em

    Fiquei mega curiosa para ler o livro!
    Parabéns pela resenha! (=

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Karoline! Que bom que curtiu, espero que aprecie a leitura também. ;)

      Responder
  6. Marina Sartori comentou em

    oi raquel,

    cheguei aqui pesquisando sobre o livro e amei sua resenha. nem imaginava a profundidade desse livro, mesmo que o gaiman tenha falado sobre ela. mas amei, acabei de comprar ali pelo site, tomara que chegue logo.

    beijos

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      A Menina Submersa: Memórias é bem denso, um livro pra ser lido e digerido com calma. O Gaiman elogiou a escrita da Caitlín e eu tenho que dizer que ela realmente me surpreendeu. E fez valer o elogio. ;)

      E que bom que você já comprou o livro! Tomara que chegue bem rapidinho. Beijo!

      Responder
  7. Isabela comentou em

    Raqueeeel, te mato! Não posso adicionar nenhum novo livro na minha lista de leituras, mas depois dessa resenha PRECISO desse… Adoro histórias com narradores conturbados, que se perdem nos relatos e deixam o leitor confuso entre o que é real e o que não é. Só dela ser esquizofrênica já fiquei curiosa, ao ler a resenha toda então…

    Poxa vida, incrível… Hahha! Quero e quero agora…

    Bjs ;)

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      HAHAHAHAHAHAHAHAHA, deixa pra me bater lá na Bienal, Isa :P

      Narradores conturbados geralmente rendem boas histórias, fiquei muito surpresa com o livro, me pegou de jeito. Espero que você goste! \o/

      Beeeijo ;D

      Responder
  8. Marina Garcia comentou em

    Obaaaaaaaaaaaaaa resenha do livrooooooooooo que eu tava esperando tanto. Ficou incrível e só aumentou minha curiosidade pra ler o livro \o/ \o/ \o/

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Hauehaehauea, servimos bem para servir sempre :P
      Beijo ♥

      Responder
  9. Nicolas Ueda comentou em

    Caramba, fiquei curioso pra ler esse livro. Muito mesmo.

    Gosto muito de histórias que tem uma narrativa mais subjetiva. Que permite o próprio leitor criar seu ponto de vista do que pode ter acontecido. Isso cria uma grande gama de questões e discussões entre os indivíduos, e na minha opinião, deixa uma obra mais viva.

    Além disso também gosto demais de obras de mistério. E acho que deveriam serem mais exploradas em todas as mídias. Já ai como faz o citado sr. Gaiman.

    E parabéns pela resenha. Achei demais esse estilo de escrita em terceira pessoa. Até porque combina com a proposta do livro né. :)

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Niiiiic, tudo certo? :)

      Já dizia também nosso querido Gaiman que não tem graça dizer ao leitor o que acontece. Cada um tem sua visão da história e extrai pra si o que acha mais importante. A escolha da Caitlín em deixar algumas pontas para serem amarradas pelo leitor com certeza tem a ver com isso. Não dá pra confiar na narradora, então a gente segue se perguntando até que ponto é real. :)

      QUE ÓTIMO que você curtiu a resenha! Foi arriscado, hehehe, mas a galera parece ter gostado. Agora espero que apreciem o livro também. ♥

      Beijão!

      Responder
  10. Daniela Farias comentou em

    Nossa Pipoquinha, que resenha!
    Adoro histórias desse tipo, especialmente quando trata de esquizofrenia, que é uma doença que eu me interesso muito. Por mais que seja triste essa doença, isso me encanta porque a maneira que ele veem o mundo se torna tão fascinante sabe? Eu acho isso demais!
    Estou vendo que vou ter que comprar esse livro logo!
    Beijocas!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Hahaha, pelo visto você logo vai mergulhar nesse marzão sem fundo que é a mente da Imp. Espero que goste ;) É desafiador. Mas compensa.

      Beijoca <3

      Responder
  11. Diego comentou em

    Amoooorrrr *-*
    Muito boa a resenha, meu bem! Fotos impecáveis.. e cheio de marcaçõesssss hahaha
    Esse livro tem algo que me deixa intrigado, essa garota da capa, esse olhar dela :x dá medo!
    E esse lance da floresta do suicídio. Conheci isso aí no ano passado e fiquei chocado. Interessante colocarem isso na história.
    Nem preciso dizer que agora quer ler logo hahaha
    Beijos, Di <333

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Aaaaalô, querido! :D

      Essa garota me intriga também. Ela é cheia de camadas, nem todas a gente ultrapassa. É incrível, acho que vc vai adorar.

      PS: essa floresta é cabreira. Demais.

      E oh, que bom que você gostou da resenha. :’)

      Beeeeijo <3

      Responder
  12. André Luiz comentou em

    ESTOU AQUI TENTANDO ENTENDER ESSA RESENHA MINDFUCKING E NÃO TÔ CONSEGUINDO <3 COMO NÃO FICAR COM VONTADE DE LER O LIVRO DEPOIS DE LER ISSO? <3 OBRIGADO RAQUEL <3

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      HAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAHHA :PPPP

      Responder
  13. Juliana comentou em

    Gente! Raquel! Que fantástico! Meu Deus, quero ler esse livro NOW! D:
    Parece incrível! Amei as referências, apesar de que, se eu for ler, terei de pesquisar muita coisa, haha! Mas adorei! Adoro referências! *-*

    E gente, que edição fantástica! Eu vou ter que implorar para a Darkside me enviar este! hahaha nem que seja de joelhos! <33 Amei!
    E essa capa tem tudo a ver! Sem falar nas cores, Darkside + rosa? AWWWN <3 HUAHUAHUA.

    Raquel, sua resenha está como sempre ESPETACULAR! Linda, e dessa vez preciso comentar as fotos, suas fotos ficaram lindas, o livro já é lindo né? Então com sua jogada de ângulos e seus marcadores… <33

    Me deixou com água na boca!
    Beijão! <3

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Ju,

      Eeeeeee, que bom que gostou da resenha e do livro, hehehe. Tomara que você tenha a oportunidade de ler o livro, mergulhar na mente distorcida da Imp, e que possa conhecer a Eva, talvez de uma forma diferente da que eu conheci. Muitas camadas, muitas camadas. E a edição ficou bonitona né? Também gostei da capa e do rosinha, hahehe. :P

      Obrigada pelos elogios das fotos, você é muito gentil. <3
      BEEEEEIJO gigante pra tu, querida. /o/

      Responder
  14. Renata comentou em

    Raquel, arrasando como sempre! Mas ó….fiquei meio confusa, parece ser muito complexo para a minha pobre mente..srsrsrsr….quem sabe, né?
    ah, a caveirinhas da darkside….suspiros….por enquanto na minha estante eu só tenho 3.
    bjs

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Hehehehe, obrigada, querida! Sobre o livro, se você ler com calma e com a mente aberta, vai ser proveitoso. O que não dá é pra achar lógica numa história narrada por alguém como a Imp. :))

      A caveirinha é uma graça, né? <333

      Bjs!

      Responder
  15. Leandro comentou em

    Raquel, parabéns pela experimentação na escrita dessa resenha.
    Fluiu de forma satisfatória.

    Livro com ressalva do Neil Gaiman?
    Poxa, é mesmo que mandar: L E I A! rs rs
    Estou com ele na (enorme) fila de ‘desejados’ e se por um acaso, eu o conseguir, ele vai furar a fila!

    Bj e abs moça!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      HÁ, veja só, pessoal está aprovando, hahaha. *ufa*
      Obrigada, Leo! :)

      Acho que, depois de ler, você também vai concordar que o elogio do Gaiman aqui foi sincero e válido. Curti bastante, espero que você possa ler em breve. ;)

      Beeeijo!

      Responder
  16. Bruna Miranda comentou em

    GEEEEEEEENTE.. o que foi essa resenha?! Quel, tu se superaste! Ficou tudo lindo e instigante a me fazer ler o livro. Não que eu não fosse ler antes, mas ficou tudo tão.. tão… Ah, peraí, deixa eu correr na livraria pra comprar o meu <3 hahahaha

    Tudo o que tu escreveste e me falaste dele me deixou muito curiosa e esquizofrenia não é um assunto que eu já li muita coisa, então melhor ainda :D
    Alguém reparou que a Darkside fez o livro rosa pra destacar dos outros e ser uma história "de menininha"? Adorei :D

    Beijos, Quelinda <3

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Muito sagaz sua observação rosística, dona Bruna, hahahha. Gostei muito do livro, e fico feliz de ter conseguido instigar todo mundo, há xD

      Obrigada pelo comentário gracinha e pelo apoio de sempre, moça. <3 BEJJO!!!!

      Responder
  17. Bea Andrade comentou em

    sensacional quero jáááá!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Ele pode ser seu, hehehe o/

      Responder
  18. Bruna comentou em

    AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII quero ler agora messssmooooo

    e parabéns pelas fotos, ficaram lindas

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Eeeeeeeeee! Espero que goste da leitura também, né. Obrigada pelo elogio :*

      Responder
  19. Rosemeri Vieira Albuquerque comentou em

    Estou super ansiosa pra ler esse livro, adorei a resenha e o blog parabéns.

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Obrigada, querida!!! Volte sempre ;)

      Responder
  20. Marcos comentou em

    Parabéns pela resenha, além de ótima conseguiu fazer com que eu coloque o livro no topo da pilha de leituras! Não conhecia o site ainda, mas a partir de agora vou passar a acompanhar.

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Marcos,

      Oba, novos leitores! Que bom que gostou da resenha, me conta depois o que achou do livro. Imagino que as pessoas vão se surpreender com ele. :)

      E oh, fico feliz de saber que você curtiu o blog. Volte sempre ;)))

      Responder
  21. Paulo Sutto comentou em

    Muito boa sua resenha. Estou terminando livro, e a autora escreve muito bem sim. Mas é um livro denso, acho que é preciso ler mais de uma vez para entender tudo. É um bom livro.

    Parabéns pelo blog

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Obrigada pelo comentário, Paulo. Com certeza é um livro que merece releitura. Espero que esteja curtindo. :) Abraço!

      Responder
  22. Giani Klug comentou em

    PROVAVELMENTE A MELHOR RESENHA QUE JÁ LI SOBRE ESSE LIVRO

    Terminei de ler e concordo contigo é maluco lindo macabro perturbador meio esquisito, mas é perfeito. Amei amei amei amei.

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Haheuahehae, obrigada Giani! É uma viagem e tanto, mas adorei o final. Adorei a viagem também. A Eva é uma figura e tanto nessa história, né? Também fiquei envolvida com tudo. Beijo. :)

      Responder
  23. Ítalo Costa comentou em

    Poxa, que baita resenha, hein! Eu sempre tive vontade de ler algum livro com personagens que tenham esquizofrenia ou algum outro problema assim, porque mistura realidade com ficção e você não sabe o que é verdade, o que não é…
    Beijos.

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Esse aqui é perfeito, então! Vai fundo, você vai adorar. (e obrigada pelo elogio :D)

      Responder
  24. Diego de França comentou em

    Raquel estou lendo este livro e já me peguei perdido na mente de Imp, é um livro muito intrigante, todas essas referências que ela cita, seus fantasmas ainda vivos, é algo bem perturbador.
    O quadro “A Menina Submersa” é muito legal, vou aos poucos tentando decifrar esta mente esquizofrênica (espero terminar em sã consciência ainda).
    A DarkSide está de parabéns, cada lançamento é uma nova obra prima!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Hehehehe, eu também espero que você termine bem a leitura, viu? Eu curti muito a proposta do livro, e a forma como os relatos da Imp se misturam com a história, poluem a verdade e fazem nossa mente ficar confusa. Achei sensacional e fico feliz de ver a excelente aceitação dos leitores ao livro. :)

      Abração :}

      Responder
  25. Duda Menezes comentou em

    Adorei a forma que você desenvolveu a resenha, Raquelzinha. Ficou muito boa hahaha Já acho super interessante ver como outra pessoa absorveu determinado livro que eu li, por isso gosto tanto de ler resenhas de livros que eu acabei de ler (mas só depois de escrever a minha, pra não confundir a cabeça – tenho disso rs).
    A sua ficou ótima e essa sacada Raquel/Imp foi muito boa.
    Cara, esse livro é surreal HAHA Sombrio e interessante, não há como negar.
    Eu adorei a referência à Floresta dos Suicídios, principalmente porque tinha acabado de terminar de ler Os Três, de Sarah Lotz, e essa floresta tem um papel importantíssimo nesse outro livro e é mencionada várias vezes. Achei curioso que eu nunca tinha ouvido falar dela e logo agora leio dois livros em que ela é constantemente citada. Além do fato que Os Três também é um livro dentro de um livro. Achei muita coincidência hehe
    Suas fotos ficaram LINDAS! Adorei também.
    Já tinha elogiado sua playlist <3
    Ah, e lembrei que esqueci (haha) de colocar o Booktrailer lá na resenha. Posso roubar o seu? ;D
    Beijãaao!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Oi Duda! :D

      Eu também adoro ler resenhas alheias depois de ler meu livrinho e escrever sobre ele. Tocaê o/ Hahahaha :}

      Sobre a Floresta dos Suicídios, mais pessoas comentaram exatamente a mesma coisa comigo. E apesar de eu não ter lido “Os Três”, achei coincidência também. Talvez a gente dê mais atenção a esses detalhes do que outras pessoas, mas é curioso, sem dúvida.

      Obrigada por ouvir a playliiiist e elogiar as fotos, fico feliz em saber que você gostou. E a respeito do book trailer: é quase um filme, né? Achei lindo, deveríamos ter mais peças assim sendo produzidas por aqui. :)

      Beijo grande pra tu, querida :***

      Responder
  26. Alma Albuqurque comentou em

    Acabei de ler esse livro e estou apaixonada e você captou muito bem o sentimento do livro. A Abalyn é minha personagem favorita mesmo que não tenha tido tanto destaque assim. Ela é sensacional, corajosa, adorei as conversas dela. Beijo grande.

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Lindo, né? Adorei o livro também. E a Abalyn é demais mesmo, gostei muito de um trecho em que ela fala sobre o passado dela, sobre os sonhos que tinha quando criança, etc. Muito delicado <3

      Responder
  27. Angélica Pina comentou em

    Putz! Fiquei com uma super vontade de ler o livro depois da sua resenha, mas com um pouco de medo também! hehehe… Não sou acostumada com livros desse gênero, gosto de coisas mais “fofas”! Mas vou experimentar. Bjo!

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      É uma imersão completa, uma experiência bem diferente. Espero que você goste :D

      Responder
  28. Ana Barros comentou em

    Oi! Adorei a forma como escreveu suas impressões sobre o livro. Parabéns! Fiquei curiosa o que você marca no livro com os marcadores?

    Beijos

    Responder
    1. Raquel Moritz comentou em

      Obrigada, querida! Esse livro é bastante único :) Eu uso umas fitinhas adesivas especiais para isso, geralmente os kits vendidos vem com umas 100 unidades, divididas em várias cores. <3 Bjs!

      Responder

Deixe um comentário

Theme developed by Difluir