O Fascinante Império de Steve Jobs

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

Há cerca de 30 anos atrás, Michael Moritz (meu parente de sobrenome) era um jovem jornalista da revista Time e obteve acesso aos bastidores da Apple Computer para escrever uma crônica sobre a primeira década da Apple.

Hoje, Michael Moritz responde pela Sequoia Capital, uma empresa de investimento privado que ajudou a criar e organizar empresas como Yahoo!, Google, PayPal, Oracle, etc.

O livro O Fascinante Império de Steve Jobs tornou-se uma leitura obrigatória sobre a empresa. O autor não deixa passar nada ao comentar a atmosfera que nutriu seus fundadores. A obra comenta relatos da infância e adolescência de Steve Jobs, os estudos, sua vida hippie, seus primeiros empregos. Ele detalha a criação e ascensão da empresa, sua demissão, a luta com a NeXT, a aquisição do Estúdio Pixar e o seu retorno à Apple.

A chegada de Jobs no saguão da Atari em Sunnyvale foi monitorada por uma recepcionista bastante observadora. Segundo Al Alcorn, o engenheiro-chefe, a recepcionista disse: “Há um garoto aqui no saguão. Ou ele é doido ou é um gênio”. Jobs parecia um mendigo. Falava mil palavras por minuto e dizia que tinha trabalhado na calculadora HP35.

Apesar do título sugerir o contrário, Steve Wozniak não é deixado de lado. Todos os devidos créditos são dados àquele que dava vida às ideias mirabolantes.

Mas construir uma Caixa Azul funcional eram outros quinhentos. (…) Empurrados pela insistência de Jobs, os dois transformaram seu passatempo em negócio e começaram a vender os equipamentos. “Ele queria dinheiro”, disse Wozniak sobre seu parceiro.

Nas palavras do autor, a Apple é a criança precoce do Vale do Silício. Em um espaço de oito anos saiu de uma sala de estar para vendas de mais de 1 bilhão de dólares. E tanto sucesso assim merecia ser analisado de perto.

O livro é estúpido de tão bem detalhado e rico de informações preciosas, e também técnicas de marketing da empresa que transformou um negócio de garagem em uma marca que vale bilhões.

“Billy Ladin é um revendedor do Texas” explicou Goldman. “Tem cerca de quatro lojas e vende peixinhos dourados. Ele diz “Eu dou os peixinhos de graça”. O garotinho corre para casa e uma hora depois volta com cinco dólares da mãe e aí eu lhe vendo o aquário, as pedras e a comida.”

A história é brilhantemente revezada em capítulos sobre o início da empresa e detalhes de reuniões de marketing, lições de administração e histórias de corredores da Apple. Michael Moritz passou alguns meses frequentando essas reuniões, acompanhando o progresso no desenvolvimento de um novo computador. Não é um retrato autorizado da empresa, mas conta com dados de documentos que vazaram – o autor não teve acesso a nenhum relatório interno.

O Fascinante Império de Steve Jobs tem todo o meu respeito e recomendo a leitura a todos que queiram conhecer a história da Apple até seu primeiro bilhão de dólares.

Ficha Técnica

Título: O Fascinante Império de Steve Jobs
Autor: Michael Moritz
Ano: 2009
Gênero: Administração
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 367

Você também pode gostar de:

iWoz, ou “A história do outro Steve da Apple”

Pixar Short Films – Os Curtas da Pixar

A Pixar é uma empresa mundialmente conhecida, portanto dispensa apresentações, ainda assim vale lembrar que as melhores risadas em filmes infantis vieram do excelente roteiro escrito pelos caras lá de dentro. Em 1995 surgia o primeiro longa completamente animado em 3D, Toy Story, dirigido por John Lasseter e financiado por Tio Jobs (que inclusive tem […]

Ler o post