Em Busca do Ouro (1925), filme de Charlie Chaplin

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

No mês de abril, Chaplin faz aniversário e quem ganha é você, e como forma de homenageá-lo por sua indiscutível contribuição para o cinema, falamos sobre cinco de seus inúmeros filmes, alinhado com a programação da Fundação Cultural de Blumenau, que está exibindo as películas este mês. Já foram exibidos Luzes da Cidade, Luzes da Ribalta e hoje é a vez de Em Busca do Ouro, a obra preferida do próprio Chaplin.

gold-rush-chaplin-scene

Charlie Chaplin provou neste filme que tragédia e comédia andam juntas e transformou estes contos sobre fome e privação em algo cômico e delicado. No Alasca, Carlitos (Charles Chaplin) tenta a sorte como garimpeiro em meio a corrida do ouro de 1898 e se junta à massa otimista de pessoas que enfrentam a fome, o frio e a solidão para chegar aos seus objetivos. Com criatividade, ele dribla os obstáculos, cria uma amizade com o gordo McKay (Mack Swaim) e encontra tempo para se apaixonar por uma dançarina que não lhe dá bola (Georgia Hale).

É neste filme que temos algumas das cenas mais clássicas do cinema, como a famosa dança dos pãezinhos (reproduzidos em diversos filmes, como Benny & Joon), a alucinação do esfomeado Big Jim que vê Carlitos como um grande e suculento frango, e a clássica sequência em que o Vagabundo faz um cozido de botas.

gold-rush-chaplin-eating

Nesta última cena, vale a pena dizer, Chaplin e Mack Swain realmente comeram as botas, que foram feitas de alcaçuz por um confeiteiro contratado. Reza a lenda que a cena foi repetida mais de vinte vezes até ficar como Chaplin queria (lembra quando falamos do perfeccionismo dele em Luzes da Cidade?).

gold-rush-chaplin-dog

E as cenas em que centenas de garimpeiros figuram, vale acrescentar que todos eram vagabundos de rua que aceitaram participar do filme em troca de um dia de salário.

O furacão Lita Grey

Chaplin trabalhou neste filme por 14 meses e investiu uma boa quantia, ainda que tenha sido um dos mais rentáveis sucessos de sua carreira. Foi nele também que ele conheceu Lita Grey, na época sob o nome Lillita MacMurray, com 16 anos.

Seis meses depois que o filme já estava sendo rodado, Lita descobriu que estava grávida, e Chaplin se viu forçado a casar-se com ela em segredo para evitar escândalos, já que ela era menor de idade. O casal teve dois fihos, e se separaram 3 anos depois – um divórcio acompanhado de perto pela mídia, por conta das declarações de Lita.

golden-rush-georgia-chaplin

Lita foi substituída pela belíssima Georgia Hale, na época com 24 anos e um prêmio de um concurso de beleza de Chicago. Depois deste filme, Georgia Hale chegou a trabalhar em O Grande Gatsby (1926), no papel de Myrtle Wilson e não teve nenhum outro destaque em sua carreira.

Em Busca do Ouro foi o primeiro filme mudo que Chaplin alterou anos depois, adicionando uma trilha sonora orquestrada e substituindo os textos por comentários gravados por ele mesmo. Ele também chegou a alterar a cena final por algo menos romântico em 1942 (você pode ver a cena original no Youtube).

Fundação Cultural de Blumenau exibirá filmes de Chaplin em Abril

Como falei antes, a Fundação Cultural de Blumenau irá exibir cinco filmes de Chaplin no mês de Abril, retomando as exibições do CineArte. Já foram exibidos os filmes Luzes da Cidade (1931) e Luzes da Ribalta (1952). Os próximos serão Em Busca do Ouro (1925), O Grande Ditador (1940) e O Garoto (1921) durante o mês. A programação completa você pode ver no site da Prefeitura de Blumenau.

AGENDA: 1, 8, 15, 22, 29 às 19h30
LOCAL: Cine Teatro Edith Gaertner (Rua XV de Novembro, 161, Centro)
VALOR: Gratuito

E então? Vamos lá? :)

Ficha Técnica

Título: Em Busca do Ouro (The Gold Rush)
Diretor: Charlie Chaplin
Ano: 1925
Gênero: Comédia
Duração: 95 minutos

Post escrito por: Raquel Moritz.

Luzes da Cidade (1931), filme de Charlie Chaplin

Há algum tempo atrás, o Pipoca Musical falou um pouco sobre o gênio do cinema mudo e sua sensibilidade para contar histórias que marcaram época e são lembradas com muito carinho até hoje. No mês de abril, mais precisamente no dia 16, Chaplin faz aniversário. Em comemoração à data, a Fundação Cultural de Blumenau exibirá, […]

Ler o post

As Aventuras de Pi e o tigre mais realista da história do cinema

Pi Patel (Suraj Sharma) é filho do dono de um zoológico na Índia, mas quando a prefeitura local retira os incentivos que ajudavam a manter os animais, a família decide vender o empreendimento e se mudar para o Canadá. Na noite da mudança, Pi e sua família embarcam em um cargueiro, mas uma tempestade terrível […]

Ler o post

Falemos sobre Hitchcock, o filme (e o diretor, e a esposa dele, e a filmografia, e…)

A todo momento vemos ou ouvimos alguém ser chamado de gênio, seja na música, no cinema ou em qualquer outra arte. Poucas vezes, porém, isso se prova realidade – veja o caso dos Strokes, por exemplo: de salvação do rock ‘n’ roll há pouco mais de 10 anos a motivo de riso e equiparação ao […]

Ler o post

A Fera é mais uma aposta nos contos de fadas modernos

A Fera faz parte daquela leva de filmes que modernizaram os contos de fadas. Neste filme dirigido por Daniel Barnz, conhecemos Kyle (Alex Pettyfer), um cara bem sucedido, arrogante e cobiçado pelas mulheres, que acha que aparência é tudo, sempre. Tudo vai bem até que um dia ele humilha Kendra (Mary-Kate Olsen), uma garota da […]

Ler o post

A experiência de assistir Monstros SA nos cinemas 12 anos depois

Monstros SA é uma história divertida de Mike e Sulley, dois monstros que ganham a vida assustando crianças para coletar energia para a sua cidade. Em mais um belo dia de trabalho, uma das crianças acaba saindo do seu quarto e entrando em Monstrópolis. Para evitar um pânico maior na cidade, os dois assumem a tarefa de levar a menina de volta pra casa.

Ler o post