3 motivos para assistir The Bad Seed

Curtir e compartilhar esse post:
facebook:
twitter:
google plus:
pinterest: pinterest

Chegou a hora de falar sobre como nasce um serial killer. A grande pergunta é: nascemos inocentes e somos corrompidos ou a semente da maldade já está dentro de nós? Nos anos 50 uma obra respondeu essa pergunta de maneira assustadora. Tara Maldita (The Bad Seed, 1956) trouxe ao público apaixonado por cinema atuações brilhantes para contar uma história sobre como surge a maldade.

Vamos listar hoje 3 motivos para você assistir The Bad Seed o quanto antes e tentar responder a mesma pergunta.

1 – Ver uma criança psicopata em ação.
rhoda, menina má, darkside
O filme conta a história de Rhoda (Patty McCormack), uma garotinha de oito anos com carinha de anjo, bastante educada, madura e inteligente. Quando um coleguinha do colégio morre, a mãe de Rhoda, Christine Penmark (Nancy Kelly), começa a perceber a real natureza de sua filha. The Bad Seed é o primeiro filme a colocar uma criança como assassina e vilã, o que obviamente gerou certo impacto na época de seu lançamento. Rhoda foi base para vários personagens famosos hoje em dia, como Chucky, Annabelle, Dexter, o Anjo Mau e por aí vai. O filme The Bad Seed concorreu a quatro estatuetas do Oscar, sendo três delas direcionadas à atuação das mulheres do filme: Melhor Atriz para Nancy Kelly; Melhor Atriz Coadjuvante para Eileen Heckart e, claro, Patty McCormack.

2 – Discutir como nasce a maldade.
rhoda, menina má, darkside
Um dos maiores méritos dessa obra é trazer à tona um assunto que gera muita discussão: a índole humana e a probabilidade de já nascermos maus, ao invés de apenas sermos corrompidos pelo mundo ao nosso redor. Isso poderia brotar até mesmo numa criança? Rhoda é o retrato da frieza, manipulação e maldade e sua personagem faz com que a gente discuta a moral e o ambiente em que uma criança é criada. Em busca de mais atenção, Rhoda ultrapassa a barreira do aceitável, mas isso acaba sendo só a pontinha do icerberg.

3 – Se preparar para ler o livro que deu origem ao filme, MENINA MÁ.
rhoda, menina má, darkside
Publicado originalmente em 1954, Menina Má se transformou em um sucesso polêmico e violento. Infelizmente William March não ficou vivo por tempo suficiente para conferir as críticas ao seu romance. Hemingway se declarou um fã da obra, indicando-o como um livro “assustadoramente bom”. Menina Má foi lançado pela DarkSide® Books no mês de maio e é uma dica para todos que querem saber como a mente de uma criança psicopata funciona.


COMPRE: Amazon | Submarino | Americanas

Recomendo também que vocês assistam ao vídeo da Adriana Cecchi, do canal Redatora de Merda, onde ela faz uma resenha bem completa sobre o filme Tara Maldita (The Bad Seed) e ainda comenta sobre algumas crianças psicopatas famosas que marcaram a história.

Para fechar o post sobre o filme, aqui vai o trailer da obra lançada em 1956. Se você já assistiu ao filme, deixe um comentário para trocar figurinhas sobre as cenas mais assustadoras – aposto que a Rhoda estará em todas elas.

Ficha Técnica

Título: Tara Maldita (The Bad Seed)
Ano: 1956
Diretor: Mervyn LeRoy
Gênero: Suspense / Terror
Duração: 129 minutos
Letterboxd: clique aqui para adicionar o filme
Compre o livro que deu origem ao filme: Amazon

Deixe seu comentário

Comentários

Comentários do Facebook

7 comentários via blog

  1. Giulia comentou em

    Já assisti a alguns vídeos sobre o assunto que pipocaram na timeline do meu facebook mas nunca assisti esse filme nem conhecia o livro!
    Fiquei bastante interessada, principalmente depois de ler o vídeo da Adriana – e realmente, que infelicidade essa tradução do título do filme!!

    Beijos,
    Giulia | http://www.1livro1filme.com.br

    1. Tara Maldita é bizarro mesmo, aheuhaeuhahue. Espero que goste do filme e do livro também \o/ Bjs bjs

  2. Marcio Roberto comentou em

    Já assisti e é muito bom mesmo! Muito bacana ideia e as questões que ela levanta, recomendo também o incrível We Need To Talk About Kevin, com a atuação maravilhosa da Tilda Swinton e que me introduziu ao Ezra Miller, no Kevin. Embora a estrela em ambas as obras sejam sem dúvida a mãe da criança, pois assim como ocorre em The Bad Seed, com a criança sendo o alvo do interessa do público, a protagonista mesmo é a mãe.

    1. Com certeza, a protagonista é a mãe. A deterioração mental dela é de partir o coração. Abraços :)